Escolha as suas informações

Centro penitenciário com 23 detidos infetados aperta medidas sanitárias
Sociedade 23.11.2021
Covid-19

Centro penitenciário com 23 detidos infetados aperta medidas sanitárias

Covid-19

Centro penitenciário com 23 detidos infetados aperta medidas sanitárias

Foto: Pierre Matgé/Luxemburger Wort
Sociedade 23.11.2021
Covid-19

Centro penitenciário com 23 detidos infetados aperta medidas sanitárias

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Quando a campanha de vacinação no centro penteniciário foi lançada, em maio, apenas 35% dos 526 detidos aderiram.

O centro penitenciário do Luxemburgo, em Schrassig, decidiu prolongar as medidas sanitárias no interior do seu estabelecimento. Após a deteção de novas infeções covid-19 no início do mês de novembro, a administração da prisão decidiu apertar as medidas de prevenção contra a propagação do vírus. Medidas que vão ser prolongadas por mais duas semanas, até 7 de dezembro.

Atualmente, há 23 detidos que testaram positivo ao SARS-CoV-2, sendo que outros 60 estão a cumprir quarentena. A administração penitenciária relembra que as atividades que necessitam de um interveniente externo estão anuladas e que os movimentos internos continuam limitados ao mínimo necessário. As visitas aos reclusos mantêm-se, mas só é permitido receber dois visitantes por detido (crianças incluídas) e com separação por um acrílico transparente.

A organização “Eran, Eraus… an Elo?” já veio comentar esta decisão, sublinhando que os detidos foram informados do sucedido esta segunda-feira. Segundo a associação, quando a campanha de vacinação no centro penteniciário  foi lançada, no passado mês de maio, apenas 35% dos 526 detidos aderiram. O facto de estes terem sido inoculados com o fármaco da AstraZeneca pode ter contribuído para esta baixa taxa de imunização. 

CovidCheck também para funcionários e mais máscaras e desinfetante

Para a organização, os detidos deviam ter o mesmo direito de escolha da marca da vacina, tal como aconteceu com o resto da população. A associação pede também que seja introduzido o CovidCheck no interior do estabelecimento para os funcionários e não somente para os visitantes. Além da obrigação de apresentação do certificado, as visitas têm de ficar atrás de um acrílico transparente. 

Outra reivindicação passa por distribuir mais máscaras e gel desinfetante aos reclusos, uma vez que estes só receberam duas máscaras de pano, o que é insuficiente, segundo a organização.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.