Escolha as suas informações

Câmara dos Assalariados contra escolaridade obrigatória até aos 18 anos
Sociedade 30.09.2022
Educação

Câmara dos Assalariados contra escolaridade obrigatória até aos 18 anos

Educação

Câmara dos Assalariados contra escolaridade obrigatória até aos 18 anos

Foto: Pierre Matgé
Sociedade 30.09.2022
Educação

Câmara dos Assalariados contra escolaridade obrigatória até aos 18 anos

Thomas BERTHOL
Thomas BERTHOL
Segundo esta entidade, o alargamento da idade de frequência escolar mandatória, é apenas uma forma de mascarar os números do abandono escolar.

Antes das próximas eleições parlamentares, marcadas para outubro de 2023, o ministro da Educação Claude Meisch gostaria de aumentar a idade da escolaridade obrigatória no Luxemburgo dos 16 para os 18 anos. No entanto, a Câmara dos Assalariados (CSL na sigla em francês) não vê isto com bons olhos, considerando-a "um obstáculo à liberdade pessoal de cada um".


Luxemburgo é um dos países da UE com mais abandono escolar
Mas também é aquele onde mais alunos têm o ensino superior.

Em conferência de imprensa recente, a CSL referiu que a medida "priva os jovens de 16 anos da oportunidade de ir trabalhar e começar a descontar para a reforma". 

Ao mesmo tempo, acredita que o projeto entraria em conflito com o Código do Trabalho atual, que prevê a possibilidade de trabalhar a partir dos 15 anos de idade. 

De acordo com a CSL, o alargamento da escolaridade obrigatória não vai resolver o problema do abandono escolar e do desemprego entre os jovens não qualificados. Os problemas que levam os jovens a abandonar a escola aos 16 anos de idade remontam ao ensino fundamental, considera o organismo.

Juventude sindical também discorda da medida

A CSL questiona se o aumento da escolaridade obrigatória medida é eficaz ou "uma ilusão", opinião partilhada pela maior central sindical do país, a OGBL, que questiona se é uma "solução ou se trata de tapar o sol com uma peneira".

Também a juventude sindical da OGBL também não está convencida com a medida. Para a OGJ, a possibilidade de trabalhar para quem deixa a escola aos 16 anos "permite aos jovens em causa tornarem-se independentes bastante rápido e, ao mesmo tempo, proporciona-lhes uma primeira experiência que os leva frequentemente a regressar mais tarde à escola para obterem um diploma".


Escolaridade obrigatória até aos 18 anos entra em vigor em 2025
O ministro da Educação quer combater o abandono escolar no Grão-Ducado. Mais de um terço dos estudantes que deixam a escola tem entre 16 e 18 anos.

A CSL e a OGJ consideram ainda que o projeto de Claude Meisch apenas "limpará os maus números de abandono escolar". O número de estudantes de 16-17 anos de idade que abandonaram os estudos aumentou 15% no último ano letivo: de 237 para 273 em 2021

(Este artigo foi originalmente publicado no Virgule - Luxemburger Wort.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas