Escolha as suas informações

Cabo Verde diz que isenção de vistos para europeus vai aumentar turismo
Sociedade 3 min. 03.05.2017

Cabo Verde diz que isenção de vistos para europeus vai aumentar turismo

O ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, durante um encontro com as associações cabo-verdianas

Cabo Verde diz que isenção de vistos para europeus vai aumentar turismo

O ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, durante um encontro com as associações cabo-verdianas
Foto: Aleida Vieira
Sociedade 3 min. 03.05.2017

Cabo Verde diz que isenção de vistos para europeus vai aumentar turismo

O ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, defendeu no Luxemburgo a anunciada isenção de vistos para cidadãos europeus, afirmando que a medida vai aumentar as receitas turísticas no país.

O ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, defendeu no Luxemburgo a anunciada isenção de vistos para cidadãos europeus, afirmando que a medida vai aumentar as receitas turísticas no país.

O Governo de Cabo Verde quer abolir a partir deste mês os vistos para cidadãos europeus que visitem o arquipélago, uma medida que poderá aumentar as receitas turísticas, defendeu o ministro das Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, durante uma visita ao Luxemburgo, na sexta-feira.

“Cabo Verde está nomeado como o melhor destino de turismo de África e devemos aproveitar para aumentar o investimento no turismo das ilhas”, sustentou o ministro, durante um encontro com associações cabo-verdianas no país.

A medida poderá aumentar as receitas para mais 120 milhões de euros, afirmou Luís Filipe Tavares, garantindo também que o fim dos vistos não prejudicará a segurança do país.

O anúncio da isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para cidadãos da União Europeia (UE) foi feito a 10 de abril pelo primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, durante a visita de Marcelo Rebelo de Sousa ao arquipélago, e suscitou uma acesa troca de argumentos entre apoiantes e opositores da medida.

O ex-primeiro-ministro José Maria Neves classificou a medida como absurda e prejudicial à posição negocial de Cabo Verde com a União Europeia, considerando que esta não deveria ser unilateral, mas ter contrapartidas para o país.

Na resposta, o Governo afirmou que “absurdo é não compreender o alcance da medida” e assegurou que haverá ganhos para o país.

A isenção de vistos para cidadãos europeus também levantou interrogações entre os dirigentes associativos cabo-verdianos no Luxemburgo. Yara Fortes, da associação Lux Maio, questionou o ministro sobre as implicações no combate ao terrorismo. “Sabemos a situação da Europa neste momento no que diz respeito ao terrorismo e a possibilidade de isenção de vistos a todos os europeus preocupa-me”, desabafou.

Para João da Luz, presidente da Federação das Associações Cabo-verdianas, o novo sistema deixa um sentimento de discriminação. “Se os europeus podem entrar sem visto, este direito também deveria ser estendido aos cabo-verdianos que pretendam entrar na Europa”, defendeu. “Somos apenas 500 mil e o risco de invasão da Europa não existe”, brincou.

Durante o encontro com o ministro, os líderes associativos manifestaram também as suas preocupações e dificuldades no Luxemburgo. A falta de espaço e de apoio financeiro para organizar atividades foram alguns dos problemas levantados.

O presidente da associação Estrela do Norte, Antão Freitas, denunciou ainda problemas na emissão de passaportes. “Ainda há pessoas que deixam de receber direitos, como os abonos para as crianças, porque não têm o passaporte em dia”, lamentou.

Entre as queixas das associações estão ainda dificuldades para fazer chegar ao seu destino os donativos recolhidos para ajudar Cabo Verde.

O ministro garantiu que as preocupações das associações serão transmitidas às autoridades luxemburguesas, durante as negociações que Cabo Verde mantém com o Luxemburgo, no âmbito da parceria de cooperação entre os dois países. “Terei um novo encontro com Jean Asselborn brevemente em Cabo Verde e levarei as vossas preocupações”, afirmou.

A visita de Luís Filipe Tavares ao Luxemburgo teve como objetivo estreitar os laços entre Cabo Verde e a UE, no ano em que o arquipélago assinala uma década de parceria especial com a Europa.

“Achamos que é o momento de negociar a introdução de outros aspectos a este acordo”, afirmou o ministro. O governo cabo-verdiano quer “promover e aumentar o investimento europeu em Cabo Verde”, estando a negociar acordos para evitar a dupla tributação. A economia marítima é outra vertente que o Executivo pretende acrescentar ao acordo de parceria com a UE, afirmou o ministro.

Aleida Vieira (com Lusa)


Notícias relacionadas

Até sábado: Ministro cabo-verdiano no Luxemburgo para falar de relações UE/Cabo Verde
O ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde encontra-se desde quinta e até sábado no Luxemburgo para reuniões com representantes do Governo luxemburguês. Luís Filipe Tavares traz na agenda o reforço da parceria especial entre Cabo Verde e a União Europeia e as relações bilaterais com o Grão-Ducado. No sábado, vai haver também um encontro com dirigentes associativos.
Luis Filipe Tavares