Escolha as suas informações

Bruxelas. Greve ambiental dos estudantes com os adultos a encher as ruas

Bruxelas. Greve ambiental dos estudantes com os adultos a encher as ruas

Foto: Telma Miguel.
Sociedade 25.05.2019

Bruxelas. Greve ambiental dos estudantes com os adultos a encher as ruas

Entre 8 a 10 mil pessoas marcharam ontem em Bruxelas na Greve pelo Clima, muito menos que os cerca de 30 mil jovens de 15 de março. A luta está a mudar.

 Desta vez os adultos compareceram em massa e misturaram-se com os estudantes. Anuna de Wever, a flamenga de 17 anos que iniciou o movimento de greves dos jovens na Bélgica, agradeceu no final a presença de todos e em especial de um grupo que se está tornar cada vez mais visível, os Avós pelo Clima (Grand parents pour le Climat). A marcha contou com a presença de vários movimentos e ONG’s, desde o Greenpeace, aos activistas pelos direitos dos animais, aos Extinction Rebellion(XR). Vários cartazes lembraram as eleições de domingo que, na Bélgica, assumem um carater especial: além dos deputados para o Parlamento Europeu, os belgas vão também escolher os líderes federais e regionais.

Mas o tom geral era o de que a luta dos jovens vai mudar, após a falta de ação das instituições belgas, mesmo quando desde Novembro os têm feito todas as quintas-feiras greves pelo clima. ‘Isto é o fim do começo’, disse Anuna de Wever, no palco montado no recinto de Tour&Taxis, para o evento de música ‘make Noise for the Climate’. Mas explicou também que ‘o movimento não está morto’, apesar da crescente desmobilização juvenil. Vai apenas haver uma nova estratégia. Agora o longo prazo.

Numa mensagem publicada na página do Facebook, os XR referem que ‘a estratégia que consiste em pedir à classe política para resolver a crise climática fracassou’. E que, por ‘não escutar, não deixar espaço de expressão livre, o governo torna inevitável a radicalização da luta’. Amanhã, no dia das eleições, os XR irão juntar-se aos coletes amarelos em defesa da ‘justiça ecológica e social’, numa ação que promete no mínimo perturbar o dia eleitoral na capital da União Europeia.

Telma Miguel, em Bruxelas


Notícias relacionadas