Escolha as suas informações

Bruxelas disponibiliza mecanismo para repatriamento de cidadãos da UE na China
Sociedade 2 min. 28.01.2020

Bruxelas disponibiliza mecanismo para repatriamento de cidadãos da UE na China

Bruxelas disponibiliza mecanismo para repatriamento de cidadãos da UE na China

Foto: Arne Dedert/dpa
Sociedade 2 min. 28.01.2020

Bruxelas disponibiliza mecanismo para repatriamento de cidadãos da UE na China

Lusa
Lusa
O governo luxemburguês não tem conhecimento, até à data, de cidadãos do Grão-Ducado em Wuhan. Já os 20 portugueses residentes na cidade chinesa serão resgatados por avião.

A Comissão Europeia anunciou hoje que poderá disponibilizar o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, usado para catástrofes naturais, para possibilitar o repatriamento de cidadãos da União Europeia (UE) na China, devido à situação de alarme causada pelo novo coronavírus.

"O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças está a discutir com os Estados-membros ações para resposta imediata, incluindo a utilização do Mecanismo Europeu de Proteção Civil, se for solicitado por um dos países", declarou hoje o porta-voz da Comissão Europeia para a gestão de crises, Balazs Ujvari.

Falando na conferência de imprensa diária do executivo comunitário, o responsável precisou que, se o Mecanismo Europeu de Proteção Civil for ativado a pedido de um Estado-membro, "poderá ser usado para o repatriamento de cidadãos europeus na China".


Tudo o que falta saber sobre o novo coronavírus
O que se desconhece sobre o vírus é ainda muito mais do que aquilo que já se sabe. Eis o que ainda está por saber.

 Também através deste instrumento, o centro europeu "poderá disponibilizar […] apoio logístico para o transporte de medicamentos e equipamentos médicos entre os Estados-membros", bem como "transporte de equipamento especializado destinado ao despiste do vírus", adiantou Balazs Ujvari.

O novo vírus já chegou entretanto à Europa. Foram detetados três casos em França e um na Alemanha. Até ao momento, de acordo com o porta-voz, o executivo comunitário não recebeu "qualquer pedido" para ativação deste mecanismo, normalmente usado para inundações e incêndios. O governo português já anunciou que quer retirar por via aérea os portugueses retidos em Wuhan, cidade chinesa de onde é originário o coronavírus.

Num comunicado dirigido na segunda-feira aos cerca de 20 portugueses que residem na cidade, a embaixada portuguesa esclareceu que iniciou "de imediato todos os passos" para proceder à retirada por via aérea, recorrendo a um avião civil fretado "que vos vá buscar a Wuhan e dali vos leve diretamente para Portugal".


Surto de coronavírus ameaça quebrar segunda maior economia do mundo
O vírus está a afetar o consumo doméstico, turismo e setor manufatureiro, à medida que cidades inteiras foram postas numa quarentena de facto e as férias do Ano Novo Chinês prolongadas.

Situada no centro da China, a cidade de Wuhan foi colocada na semana passada sob uma quarentena de facto, com saídas e entradas interditas pelas autoridades durante período indefinido, apanhando os residentes de surpresa.

A região de Wuhan encontra-se em regime de quarentena, situação que afeta 56 milhões de pessoas. A China elevou para 106 mortos e mais de 4 mil infetados o balanço do novo coronavírus detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro). O governo luxemburguês não tem conhecimento, até à data, de cidadãos do Grão-Ducado em Wuhan.


Notícias relacionadas

Coronavírus chega à Índia
Um aluno que estava a estudar na Universidade de Wuhan, na cidade de Wuhan, a mais atingida pelo surto do vírus, apresentou resultado positivo para o vírus.