Escolha as suas informações

Bruxelas. Cerca de 50 mil pessoas em mega manifestação contra medidas sanitárias
Sociedade 23.01.2022
Covid-19

Bruxelas. Cerca de 50 mil pessoas em mega manifestação contra medidas sanitárias

Covid-19

Bruxelas. Cerca de 50 mil pessoas em mega manifestação contra medidas sanitárias

Foto: AFP
Sociedade 23.01.2022
Covid-19

Bruxelas. Cerca de 50 mil pessoas em mega manifestação contra medidas sanitárias

AFP
AFP
É a maior manifestação anticovid-19 na capital dos últimos meses.

De acordo com as autoridades, cerca de 50 mil pessoas marcharam na capital belga, algumas vindas de outros países europeus. Foi a maior manifestação na cidade nos últimos meses. 

Eclodiram confrontos perto da sede da União Europeia, com a polícia a utilizar canhões de água e gás lacrimogéneo para empurrar os manifestantes a atirar pedras de pavimentação e foguetes. 


Milhares protestam contra 'passe vacinal' em França
Milhares de pessoas manifestaram-se um pouco por toda a França, no sábado, contra a entrada em vigor do passe de vacinação, já a partir de segunda-feira.

Segundo a rádio RTL, os manifestantes mascarados partiram uma janela à entrada da sede da UE. Os participantes na marcha levaram cartazes criticando o primeiro-ministro, Alexander De Croo, e o passe sanitário.

Manifestações contra o certificado de vacinação - necessário para o acesso a restaurantes e eventos culturais, entre outros - têm tido lugar regularmente na capital belga. 

Os organizadores, incluindo a Manifestação Mundial pela Liberdade e os Europeus Unidos pela Liberdade, tinham convidado manifestantes de outros países europeus para participar neste domingo. Bandeiras holandesas, polacas, francesas e romenas eram visíveis na multidão. "O que aconteceu desde 2020 fez acordar as pessoas", disse Francesca Fanara, de Lille, no norte de França. 

Adolfo Barbosa, que chegou de Portugal, disse que "aquece o coração ver estas pessoas aqui". A demonstração surge quando alguns governos avançam no sentido de reduzir as restrições sanitárias, apesar da persistência da variante Omicron, que está a causar números recorde de infeções. 

Na semana passada, mais de 60 mil pessoas foram infetadas todos os dias na Bélgica, uma vaga que as autoridades descreveram como um "tsunami". Mas os efeitos menos deletérios da variante Omicron e uma elevada taxa de vacinação significaram que o sistema de saúde estava sob menos pressão do que em vagas anteriores. 

Neste contexto, o primeiro-ministro anunciou na sexta-feira que os restaurantes e bares poderiam alargar o seu horário de funcionamento - as discotecas permanecerão fechadas. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.