Escolha as suas informações

Bonnevoie. Cinco anos de prisão para ex-polícia que matou condutor
Sociedade 2 min. 23.11.2022
Justiça

Bonnevoie. Cinco anos de prisão para ex-polícia que matou condutor

Justiça

Bonnevoie. Cinco anos de prisão para ex-polícia que matou condutor

Foto de arquivo: Guy Jallay/Luxemburger Wort
Sociedade 2 min. 23.11.2022
Justiça

Bonnevoie. Cinco anos de prisão para ex-polícia que matou condutor

Maximilian RICHARD
Maximilian RICHARD
Em 2018, um agente da polícia atirou mortalmente sobre um automobilista, alegando legítima defesa.

Cinco anos de prisão, três deles com pena suspensa: esta é a sentença pronunciada pelos juízes contra Meris M, que em abril de 2018 alvejou um automobilista que fugia de um controlo de trânsito em Bonnevoie. Pouco antes do tiroteio, o condutor da Mercedes avançou sobre o polícia, então com 22 anos. Imediatamente após o incidente, houve muitos elementos que apontavam para legítima defesa, mas a investigação rapidamente levantou muitas outras questões. Meris M. foi, subsequentemente, acusado de homicídio involuntário.


Bonnevoie. Ex-polícia que atirou mortalmente sobre condutor começa a ser julgado
Os peritos questionam a autodefesa do agente, que alvejou um homem que se recusou a parar num controlo, em 2018.

De acordo com os juízes, Meris M. não agiu em legítima defesa. Contudo, descobriram que o automobilista tinha provocado deliberadamente o seu ato. Isto ajudou a reduzir significativamente a pena para delitos graves como o homicídio, que pode acarretar penas que podem ir até à prisão perpétua. A par dos dois anos de prisão e de uma multa de 5.000 euros, o ex-polícia terá de pagar 21.400 euros de indemnização à esposa do falecido. 

Defesa pondera recorrer da sentença

A sentença ficou muito aquém das exigências da acusação, que pedia 30 anos de prisão para o ex-polícia. Apesar disso, o advogado de defesa do arguido não ficou satisfeito com veredito. Reconhece que a pena é branda, tendo em conta os factos, mas não concorda com a decisão dos juízes e planeia recorrer da sentença, que diz ser um mau sinal para outros agentes da polícia. "A mensagem é: rapazes, fiquem no escritório. E se tiverem de sair, deixem a vossa arma lá e não sigam ninguém", declarou Philippe Penning. 

Durante o julgamento, no final de setembro, o advogado tinha pedido a absolvição do seu cliente, que teria agido em legítima defesa. O acusado salientou que, no dia dos acontecimentos, foi impossível para ele desviar-se. O condutor queria matá-lo, segundo afirmou.


A 11 de abril de 2018, uma intervenção policial em Bonnevoie levou à morte de um automobilista.
Acusação pede 30 anos de prisão para ex-polícia que disparou contra condutor
Segundo a representante do Ministério Público (MP), o arguido tinha uma "fantasia de matar" alguém.

Para o representante da acusação, a investigação permitiu apenas uma conclusão. Meris M. matou intencionalmente o condutor de 51 anos. O agente teve oportunidade de se colocar em segurança, argumentou. 

O julgamento ainda não é definitivo. As partes têm, agora, 40 dias para recorrer.

(Este artigo foi originalmente publicado no Luxemburger Wort e adaptado para o Contacto por Maria Monteiro.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas