Escolha as suas informações

Bélgica. Alunos do secundário voltam às aulas em casa a partir de quarta-feira
Sociedade 2 min. 26.10.2020

Bélgica. Alunos do secundário voltam às aulas em casa a partir de quarta-feira

Bélgica. Alunos do secundário voltam às aulas em casa a partir de quarta-feira

Moritz Frankenberg/dpa
Sociedade 2 min. 26.10.2020

Bélgica. Alunos do secundário voltam às aulas em casa a partir de quarta-feira

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Nos próximos dias 28, 29 e 30 de outubro os estudantes do secundário da parte francófona da Bélgica irão retomar o ensino à distância. A deputada belga Catharine Fonck defende este regresso a nível nacional para os alunos sem dificuldades.

Os governos das regiões da Valónia e de Bruxelas fizeram o anúncio no domingo e apanharam de surpresa pais, alunos e professores. Nos dias 28, 29 e 30 de outubro os alunos do secundário da parte francófona belga irão ficar em casa e retomar o ensino à distância. Durante esta segunda-feira haverá uma reunião entre a Ministra da Educação, Caroline Désir e os responsáveis pelo ensino.

"As aulas presenciais devem continuar a ser uma prioridade, mas os especialistas em saúde estão preocupados com os maus números de contaminação na sociedade e, consequentemente, com os casos observados em várias escolas. Esta situação também coloca muitos problemas de gestão aos estabelecimentos", explicou Pierre-Yves Jeholet, ministro-presidente da Federação Valónia-Bruxelas, em comunicado na noite de domingo, citado pela imprensa. A situação "extremamente preocupante" da epidemia no país assim o justifica.

Medida temporária

De acordo com a ministra Caroline Désir a partir de 12 de novembro, após as férias de outono os alunos do secundário deverão regressar às aulas presenciais, ou seja, voltar aos liceus.

Este regresso temporário a casa dos alunos do secundário, com ensino à distância permitirá de acordo com o governo da federação Valónia-Bruxelas controlar melhor a epidemia nas escolas e as aulas recomeçarem após as férias com outras medidas.

Os professores e equipas pedagógicas irão regressar ao ensino à distância e desenvolver trabalhos para os alunos realizarem em casa, durante estes três dias, antes das férias. O governo esclarece que não neste período não abrangido por uma licença suplementar como ficou decidido para os dias 9 e 10 de novembro.

Só alunos com dificuldades devem ir à escola

A deputada Catherine Fonck, do Centro Democrático Humanista (cdH) concorda com o regresso do ensino à distância nos anos mais avançados do secundário e a nível nacional, mas apenas para os alunos com capacidades de seguir o ensino virtual à distância.

"Na segunda metade do ensino secundário, apenas os alunos com dificuldades em seguir o ensino à distância devem continuar a ir às aulas presenciais, nos liceus, para que não sejam prejudicados. Os alunos com capacidade de aprendizagem e de trabalhar à distância devem ficar em casa", defendeu ao Contacto esta deputada do parlamento belga salientando que esta medida destina-se a alunos a partir do 15, 16 anos.

Desta forma, os liceus ficariam com menos estudantes o que permitiria "controlar melhor a epidemia e diminuir o número de contaminações". "Os professores conhecem os seus alunos e sabem quem tem mais dificuldades de aprendizagem, pelo que apenas esses alunos devem continuar a ir à escola e ter aulas presenciais", explica. 

A Bélgica é o segundo país da Europa com mais casos por 100 mil habitantes, segundo o Centro Europeu de Controlo de Doenças. Em média foram registados 12,491 infeções diárias no país, entre os dias 16 e 22 de outubro, mais 44% do que na semana anterior, segundo os dados oficiais do Instituto de Saúde Pública Sciensano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas