Escolha as suas informações

Bebé real Archie vítima de comentários racistas

Bebé real Archie vítima de comentários racistas

Foto: AFP
Sociedade 3 min. 09.05.2019

Bebé real Archie vítima de comentários racistas

Ainda só tem três dias de vida, mas o filho do príncipe Harry e de Meghan Markle já é alvo de racismo. Um conhecido animador da rádio BBC, no Reino Unido, publicou uma imagem de um casal com um macaco com a legenda “bebé real deixa o hospital”, no Twitter. Foi despedido. Pela Internet, multiplicam-se as questões sobre a cor da pele do bebé real.

Archie Harrison é um bebé real interracial, filho de um príncipe inglês e de uma americana com ascendência africana. Tal como a família real temia, e como tem sucedido com a sua mãe, Meghan Markle, o bebé de três dias já foi alvo de comentários racistas, um deles amplamente difundido hoje na imprensa britânica devido à popularidade do seu autor, e às consequências de tal ato.

O conhecido animador da BBC Radio 5, Danny Baker partilhou, ontem à noite, no Twitter, uma imagem a imitar uma foto antiga de um casal com um macaco, com a legenda “bebé real deixa o hospital”.

Twitter

De imediato foi muito criticado na sua conta por tal atitude por outros utilizadores e esta manhã, a direção da BBC Radio 5 decidiu despedi-lo. Foi o próprio quem o anunciou usando a mesma imagem. Também a BBC anunciou a decisão na sua conta, informando que Danny Baker pediu desculpas pela sua publicação.

Este animador, de 61 anos, diz-se “chocado com a sua própria patetice”, assim o confessou ao jornal Daily Mail, esta manhã, à porta de sua casa, alegando ainda que “não é racista”. Na sua conta no Twitter, fez uma publicação onde pedia desculpas a Archie e afirmava que teria usado a "mesma imagem estúpida em qualquer outro nascimento real ou no nascimento do filho de Boris Johnson [político norte-americano] e até no nascimento do seu próprio filho". "É uma imagem engraçada", diz. "Mas não neste contexto. Foi um erro enorme, isso é certo. Grotesco".

Já ontem nas caixas de comentários das redes sociais se multiplicavam os comentários à cor da pele do bebé real Archie, como mostra uma imagem de uma conta do twitter, publicada pelo Observador.

“Responda à pergunta que todos querem fazer… De que cor é que ele é?”, questionava-se nesta publicação. “Branquinho, graças a Deus”, foi uma das respostas.

A Casa Real, tal como acontece com Meghan Markle, está preparada para agir perante tais ataques. Desde que foi anunciado o seu namoro com o príncipe Harry, que a ex-atriz começou a ser alvo de ataques racistas, que foram aumentando com o tempo, intensificando-se, porém, depois do casamento.

Comentários denunciados às autoridades

Em março deste ano, o Palácio de Buckingham fez saber, através de um comunicado que iria apagar comentários “difamatórios, obscenos, ofensivos, ameaçadores ou abusivos” ou “bloquear os utilizadores que não sigam as normas”. Mais. A Casa Real promete mesmo “enviar quaisquer comentários que julgarmos apropriados às autoridades para investigação, conforme acharmos necessário ou exigido por lei”.


Britain's Prince Harry, Duke of Sussex (R), and his wife Meghan, Duchess of Sussex, pose for a photo with their newborn baby son in St George's Hall at Windsor Castle in Windsor, west of London on May 8, 2019. (Photo by Dominic Lipinski / POOL / AFP)
Fotos. Eis o bebé real de Meghan e Harry
O nome do 'bebé Sussex' deve ser conhecido ainda hoje.

Uma investigação da CNN que analisou mais de cinco mil tweets entre janeiro e fevereiro deste ano com hashtags contra a duquesa de Sussex, concluiu que a grande maioria dos comentários racistas, 70 %, são gerados por um grupo de 20 contas criadas especificamente para atacar Meghan Markle.

No início do namoro, e numa atitude inédita, a Casa Real chegou a divulgar um depoimento do Príncipe Harry em que ele confessava não conseguir proteger a namorada da imprensa e dos comentários racistas e sexistas. Para ele, Meghan Markle estava a ser usada como “objeto de abuso e perseguição”, notório através de uma “primeira página de um jornal nacional”, de “comentários racistas dissimulados”, e também de “ataques sexistas nas redes sociais e de comentários da web”.


Screenshot Instagram Tessy
Princesa Tessy "desejosa de conhecer filho" de príncipe Harry
A ex-mulher do príncipe Louis do Luxemburgo fez questão de dar os parabéns ao príncipe Harry e a Meghan Markle pelo nascimento do bebé real, na sua conta de Instagram.

Em janeiro de 2018, corria na Internet uma petição lançada por Louisa Pawsey e endereçada a Theresa May para “impedir que Meghan Makle pudesse vir a ter um título oficial ou um papel na família real”. A petição foi mais tarde encerrada não somando mais de 3.900 assinaturas, algumas dos EUA. De acordo com a autora da petição, “o divórcio anterior de Meghan Markle não lhe permite merecer a confiança de que será fiel” ao príncipe Harry. A petição acusava a ex-atriz de abusar das poses sensuais e de já ter surgido nua. “Nenhum membro da família real deveria ter imagens nuas disponíveis gratuitamente na Internet como ela. As suas constantes poses sensuais são um constrangimento para este país”.


Notícias relacionadas