Escolha as suas informações

Autarca de Metz pede ao Governo um “reconfinanento local duro e forte”
Sociedade 12.02.2021 Do nosso arquivo online

Autarca de Metz pede ao Governo um “reconfinanento local duro e forte”

Autarca de Metz pede ao Governo um “reconfinanento local duro e forte”

Foto: Lex Kleren
Sociedade 12.02.2021 Do nosso arquivo online

Autarca de Metz pede ao Governo um “reconfinanento local duro e forte”

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Em quatro dias foram registados mais de 300 casos das novas variantes em Moselle. A “situação é preocupante” reconhece o ministro da Saúde.

François Grosdidier o presidente do município de Metz pediu hoje ao ministro da Saúde Olivier Véran que está de visita a Moselle um reconfinamento local urgente para este departamento por causa da grande multiplicação de infeções devido às novas variantes do vírus da covid-19.

Em Moselle é necessário um “reconfinamento verdadeiro e forte como o de março/abril” de 2020" e que envolva os alunos e todos os trabalhadores cujos locais de trabalho não sejam vitais”, declarou à Europe 1 o autarca.

O confinamento é uma medida "infinitamente mais eficaz do que este recolher obrigatório inútil", vincou François Grosdidier. O autarca frisou que a situação hospitalar é “preocupante” desde há várias semanas”. Os internamentos associados à covid-19 “estão muito acima da média nacional com o serviço de pneumologia e unidades de cuidados intensivos perto da saturação".

A par com a difícil realidade hospitalar o presidente de Metz assumiu estar também preocupado com o combate às variantes brasileira e sul-africana sobre as quais existe “uma suposta menor eficácia” das atuais vacinas contra a covid-19. Para tentar travar a maior propagação destas variantes em Moselle o autarca defende que o Governo possa adotar confinamentos locais nas regiões mais afetadas pela pandemia, como a sua.

Também o ministro da Saúde, Olivier Véran assumiu que a situação pandémica em Moselle “é preocupante”, na conferência de imprensa desta manhã, e citado pela imprensa francesa. 

Em apenas quatro dias “foram registadas mais de 300 casos de infeção pelas variantes sul-africana e brasileira em Moselle”. E nos dias anteriores já se tinham registado outros 200 casos destas infeções”. Ou seja, em poucos dias foram detetados meia centena de casos neste departamento francês, causados por estas novas estirpes que são muito mais contagiosas e transmissíveis do que o vírus original da covid-19.

Durante o dia de hoje o ministro visita Moselle com o objetivo de "avaliar a situação, e debater com todos o presidente de Metz e os responsáveis da Agência Regional de Saúde” para se encontrar respostas para combater a propagação destas variantes, sendo que as medidas terão de ser adotadas “coletivamente".  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas