Escolha as suas informações

AstraZeneca. Vai ser preciso informar e sensibilizar as pessoas para a eficácia deste fármaco
Sociedade 19.03.2021 Do nosso arquivo online

AstraZeneca. Vai ser preciso informar e sensibilizar as pessoas para a eficácia deste fármaco

AstraZeneca. Vai ser preciso informar e sensibilizar as pessoas para a eficácia deste fármaco

Foto: AFP
Sociedade 19.03.2021 Do nosso arquivo online

AstraZeneca. Vai ser preciso informar e sensibilizar as pessoas para a eficácia deste fármaco

Susy MARTINS
Susy MARTINS
“Nos próximos dias é preciso informar e tranquilizar as pessoas que vão ser vacinadas com a vacina AstraZeneca”. Quem o diz é o Alto Comissário da Proteção Nacional, Luc Feller.

A suspensão temporária da vacina fez com que haja muitas pessoas que não se sentem seguras quanto à vacina da AstraZeneca, mas Luc Feller garantiu hoje, em declarações à rádio 100,7, que esta é uma “boa vacina” e que segundo os relatórios da Agência Europeia do Medicamento, a vacina da AstraZeneca é segura e eficaz na prevenção de internamentos e de óbitos associados à covid-19. 

Com base nas provas analisadas, o Alto Comissário sublinha que os “benefícios da vacina superam de longe os riscos de efeitos secundários”. Daí considerar necessário sensibilizar a população para que não recuse esta vacina no momento da vacinação. Segundo Luc Feller, os médicos que estão presentes nos centros de vacinação vão ter esse papel importante de informar as pessoas.

Desde o início em que o Luxemburgo começou a vacinar com a AstraZeneca, há uma desconfiança por parte da população relativa a essa vacina, sublinha este responsável. Uma situação que levou a que por dia houvesse duas a três recusas de pessoas que não queriam ser vacinadas com esse fármaco. Um número que aumentou para cerca de 14 recusas, no último dia [segunda-feira, dia 15 de março], antes da suspensão temporária da vacina.

O Alto Comissário está consciente que essa desconfiança e medo permaneçam ainda nos próximos dias, daí os médicos estarem a receber todas as informações necessárias para conseguirem tranquilizar os cidadãos.

Note-se ainda que a suspensão da AstraZeneca não atrasou a campanha de vacinação do Luxemburgo, uma vez que a interrupção só foi de três dias, e que os centros de vacinação administraram as outras marcas de vacinas, como Pfizer/Biontech e Moderna para vacinar as pessoas que tinham marcação. Segundo Luc Feller, foi preciso utilizar vacinas que estavam guardadas para as pessoas que vão receber a segunda dose.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas