Escolha as suas informações

AstraZeneca. Até sexta-feira, o Luxemburgo decide o futuro da vacina
Sociedade 2 min. 17.03.2021 Do nosso arquivo online

AstraZeneca. Até sexta-feira, o Luxemburgo decide o futuro da vacina

AstraZeneca. Até sexta-feira, o Luxemburgo decide o futuro da vacina

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 17.03.2021 Do nosso arquivo online

AstraZeneca. Até sexta-feira, o Luxemburgo decide o futuro da vacina

Sem qualquer agência de controlo de medicamentos, o Grão-Ducado depende do parecer do regulador europeu para decidir se volta a considerar o fármaco no plano de vacinação do país.

O número de residentes luxemburgueses imunizados com a vacina da AstraZeneca continua a ser uma incógnita com o Ministério da Saúde a admitir apenas que, até 1 de março, o país dispunha de um stock de 15.600 doses do fármaco produzido em colaboração com a Oxford. Em suspenso, o Grão-Ducado depende do novo parecer da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) para saber se deve ou não excluir os lotes da AstraZeneca da campanha de vacinação.

Numa declaração ao Wort e à Rádio Latina esta terça-feira, o Ministério da Saúde afirmou que "não estava prevista nenhuma administração da segunda dose antes de sexta-feira" e que "enquanto se aguarda esta opinião, apenas as vacinas Pfizer/BioNTech e Moderna estão a ser administradas". Numa altura em que vários países europeus suspenderam a administração desta vacina, a EMA deve pronunciar-se ainda esta quinta-feira sobre a matéria que pode atrasar a meta de vacinar 70% da população adulta até ao fim do verão. 

Numa declaração preliminar, a diretora-executiva do regulador europeu dos medicamentos, Emer Cooke, reiterou que embora haja 30 relatos de trombose num universo de cinco milhões de pessoas vacinadas, está "ainda firmemente convencido de que os benefícios da vacina AstraZeneca (...) compensam o risco destes efeitos secundários". No mesmo sentido, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que embora "qualquer alerta de segurança deva ser investigado", os dados atuais "não fornecem qualquer razão para não utilizar" esta vacina. 


Luxemburgo não tem casos de trombose ligados à vacina AstraZeneca
O Luxemburgo não regista até ao momento qualquer caso de trombose associado às vacinas AstraZeneca.

Com uma taxa de eficácia contra os sintomas da covid-19 localizada em torno de 60%, o soro AstraZeneca não aparece como a arma mais eficaz, longe dos 95 e 94% afixados pelos seus concorrentes Pfizer/BioNTech e Moderna, mas mais fácil de usar, uma vez que pode ser armazenado a uma temperatura que varia entre 2° e 8°C. Contra níveis muito mais baixos para os seus concorrentes.

Por cá, apesar de "por precaução" as autoridades luxemburguesas terem decidido suspender a utilização da vacina na segunda-feira, não há tromboses nem efeitos colaterais graves. Perante as explicações exigidas pelo parlamento, a ministra da Saúde esclarece que os efeitos secundários associados à vacina AstraZeneca "são principalmente devido a casos de síndromes semelhantes à gripe, que normalmente ocorrem no espaço de 24 horas". De resto, as reações mais comuns são episódios de febre alta, dor muscular e  dor de cabeça.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas