Escolha as suas informações

#Metoo. Harvey Weinstein declara-se inocente em novo julgamento
Sociedade 22.07.2021
Assédio sexual

#Metoo. Harvey Weinstein declara-se inocente em novo julgamento

Assédio sexual

#Metoo. Harvey Weinstein declara-se inocente em novo julgamento

AFP
Sociedade 22.07.2021
Assédio sexual

#Metoo. Harvey Weinstein declara-se inocente em novo julgamento

AFP
AFP
O antigo produtor de cinema Harvey Weinstein declarou-se inocente na passada quarta-feira, perante um tribunal de Los Angeles, de 11 acusações de agressão sexual e violação apresentadas contra ele na Califórnia.

Harvey Weinstein, 69 anos, que cumpre uma pena de 23 anos de prisão por agressão sexual e violação em Nova Iorque desde 2020, foi transferido na terça-feira para Los Angeles, para enfrentar novas acusações. É agora acusado de ter violado ou agredido sexualmente cinco mulheres em hotéis da Califórnia, entre 2004 e 2013. 

O advogado do produtor afirmou que Harvey se declarava inocente, enquanto este estava presente numa cadeira de rodas e vestido com um macacão castanho. 

Na Califórnia, Harvey Weinstein é acusado de violação de uma modelo italiana num hotel de Beverly Hills, em fevereiro de 2013, e de agressão sexual a Lauren Young, uma aspirante a atriz, na casa de banho de outro hotel. Young, a única víima que não ficou no anonimato, já tinha testemunhado no julgamento em Nova Iorque.  Em Los Angeles, o produtor de "Pulp Fiction" enfrenta até 140 anos de prisão, para além da sua condenação em Nova Iorque.

O advogado Mark Werksman disse na quarta-feira que as alegações eram "não comprovadas, não credíveis e não fundamentadas", argumentando que não havia provas ou testemunhas credíveis que as apoiassem. Também exigiu que três das acusações da acusação fossem retiradas porque o prazo tinha expirado. 

Realizar um julgamento em Los Angeles é essencial para as vítimas, disse a advogada de várias delas, Gloria Allred. "Não tem havido acesso à justiça para pessoas que afirmam ser vítimas" em Los Angeles, insistiu Allred, que já defendeu várias das vítimas de Weinstein em Nova Iorque. 

Weinstein foi considerado culpado, em março de 2020, e preso ao mesmo tempo, uma decisão vista como uma grande vitória para o movimento #MeToo. No início de abril, Weinstein apelou da sentença. No total, quase 90 mulheres, incluindo Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Rosanna Arquette, acusaram Harvey Weinstein de assédio, agressão sexual e violação. 

 A próxima audiência está agendada para 29 de julho.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas