Escolha as suas informações

Assaltos no México e Brasil copiados da Casa de Papel
Sociedade 1 2 min. 07.08.2019

Assaltos no México e Brasil copiados da Casa de Papel

Assaltos no México e Brasil copiados da Casa de Papel

AFP
Sociedade 1 2 min. 07.08.2019

Assaltos no México e Brasil copiados da Casa de Papel

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
No México foi assaltada a Casa da Moeda e no Brasil atuava um criminoso denominado de "o professor".

A série "Casa de Papel" é uma das produções mais populares da Netflix e conta a história de um grupo que decide assaltar a Casa da Moeda, em Madrid, liderados pelo personagem do "Professor". 

A história, que vai já na terceira temporada, tem angariado fãs por todo o mundo. No entanto, o facto de explicar ao pormenor como é possível assaltar uma instituição do Estado e sair ileso representa um risco e uma tentação para quem vive de roubos.  

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Os contornos da ficção acabaram por inspirar um grupo de assaltantes da Cidade do México a tentar a sua sorte. Na passada terça-feira, quatro homens armados entraram numa loja da Casa da Moeda mexicana e roubaram 1500 moedas e relógios comemorativos num valor estimado em 2,2 milhões de euros. A loja fica no Paseo de la Reforma, uma avenida com muito movimento. 

Para Jesús Orta, secretário de Segurança da capital mexicana, o maior problema foi a facilidade com que o grupo conseguiu chegar ao cofre. O Ministério Público já está a interrogar todos os funcionários para perceber o que se passou. Aparentemente, alguns protocolos não terão sido cumpridos. 

Em julho do ano passado, um grupo assaltou o edifício da Casa da Moeda durante uma remodelação e levou moedas num valor de três milhões de pesos (cerca de 137 mil euros). 

Desta vez, o "estrago" foi maior. Entre as 1500 moedas roubadas, encontravam os "centenários", criados pela primeira vez em 1921 para comemorar o aniversário da independência do México. Cada uma vale cerca de 35 mil pesos (cerca de 1600 euros).

O "Professor" brasileiro

Francisco Teotônio da Silva Pasqualini
Francisco Teotônio da Silva Pasqualini
Foto: Divulgação


Em julho, foi reportado um roubo de ouro do terminal cargas do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. A polícia revela agora que identificou o mentor do crime. Francisco Teotônio da Silva Pasqualini, o "Velho", de 55 anos, é conhecido das autoridades desde 1980 e já foi preso algumas vez por roubo a carros fortes. 

A polícia decidiu chamar-lhe o "Professor" já que Pasqualini, tal como o personagem da conhecida série, teve a ideia e treinou o grupo mas não participa do roubo em si. “É uma boa comparação. Ele ficou na casa do funcionário com a família”, disse o polícia Pedro Ivo Corrêa, referindo-se à família de um dos participantes que ficou refém. 

Pasqualini conhecia desde a infância um dos funcionários do terminal, Peterson Brasil, que também terá participado e cuja família ficou a cargo do "Professor", que é agora procurado pelas autoridades. 

Ficção inspirada na realidade

Por sua vez, a "Casa de Papel" terá sido inspirada no que foi apelidado de um dos maiores assaltos do século. O assalto aconteceu a 13 de janeiro de 2016, quando cinco ladrões roubaram o banco do Rio de Acassuso, na Argentina, levaram 23 prisioneiros, saquearam 143 cofres e conseguiram fugir com todo o dinheiro através de um túnel. No total, foram roubados 19 milhões em jóias e dinheiro.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.