Escolha as suas informações

Antibiótico com origem no solo abre nova esperança no combate às 'super-bactérias'

Antibiótico com origem no solo abre nova esperança no combate às 'super-bactérias'

Foto: Pixabay
Sociedade 2 min. 05.09.2018

Antibiótico com origem no solo abre nova esperança no combate às 'super-bactérias'

Cientistas chineses conseguiram sintetizar uma molécula produzida pelo solo que poderá ser eficaz contra as 'super-bactérias'. O micro-organismo pertence à família das albomicinas, utilizadas no tratamento de infeções na União Soviética.

Uma equipa de cientistas chineses anunciou a descoberta de um novo antibiótico da família das albomicinas que se revelou eficaz no combate às 'super-bactérias' - micro-organismos que sofrem mutações repentinas que as tornam imunes a antibióticos.

A albomicina δ2 foi particularmente eficaz no tratamento de infeções provocadas pelas bactérias Streptococcus pneumoniae e a Staphylococcus aureus em pacientes chineses. No caso da segunda, que poderá causar infeções graves em pacientes com cancro ou que necessitam de diálise renal, a molécula revelou ser 16 vezes mais eficaz do que a ciprofloxacina. A albomicina δ2 é proveniente de uma bactéria encontrada no solo, a Streptomyces griseus.

A primeira variante das albomicinas foi isolada em 1947 na União Soviética e "utilizadas com sucesso no tratamento de infeções bacterianas", afirma Yun He, um dos autores do estudo, ao El País. Segundo o jornal espanhol, em 1955 o biólogo russo Georgii Frantsevich Gause afirmava que a albomicina foi eficaz no tratamento de pneumonia, disenteria e sarampo em crianças. O estudo da Universidade de Chongqing foi publicado ontem no jornal académico Nature Communications.

'Super-bactérias' mais mortais do que o cancro em 2050

Em 2017, a Organização Mundial de Saúde alertou para a necessidade de novos antibióticos para o combate a 12 novos tipos de 'super-bactérias', incluindo a Streptococcus pneumoniae e a Staphylococcus aureus. Um estudo encomendado pelo governo britânico estima que estes micro-organismos serão responsáveis por 10 milhões de mortes por ano a partir de 2050, mais cerca de dois milhões de vítimas do que o cancro. A descoberta da nova molécula constitui um "marco" para a Associação para a Descoberta de Novos Antibióticos em Espanha. "Os produtos naturais são quimicamente difíceis. São grandes e geralmente tão complexos que se torna impossível trabalhar com eles", explica o presidente Domingos Gargallo-Viola ao El País. Numa outra investigação recente, cientistas australianos detetaram uma nova variante de um micro-organismo ultra-resistente a vários tipos de antibióticos em 96 instituições de saúde mundiais. A 'super-bactéria' constitui uma nova estirpe de um micro-organismo vulgarmente encontrado na pele humana.

Catarina Osório

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas