Escolha as suas informações

Capital. Estação de tratamento de águas residuais com obras de extensão até 2030
Sociedade 02.08.2021
Ambiente

Capital. Estação de tratamento de águas residuais com obras de extensão até 2030

A estação de Bereldange será alvo de uma transformação completa até 2030.
Ambiente

Capital. Estação de tratamento de águas residuais com obras de extensão até 2030

A estação de Bereldange será alvo de uma transformação completa até 2030.
Ilustração: Atelier 618 - TR Engineering
Sociedade 02.08.2021
Ambiente

Capital. Estação de tratamento de águas residuais com obras de extensão até 2030

Patrick JACQUEMOT
Patrick JACQUEMOT
Com um investimento total de 295 milhões de euros, a Cidade do Luxemburgo pretende não só duplicar a capacidade de tratamento de águas residuais, mas também melhorar o desempenho da estação situada em Beggen.

O conselho municipal da capital validou na semana passada o valor estimado para as obras de extensão da estação de tratamento de águas residuais de Beggen. E embora a aprovação tenha chegado este verão, ainda será necessário esperar até 2030 para ver a conclusão do projeto, instalado nas margens do rio Alzette. As primeiras obras arrancam em 2023, e o objetivo será o de dobrar a capacidade de saneamento para as águas residuais de 210.000 habitantes para 450.000. No total o custo estimado da obra é de 295 milhões de euros.

O 'ok' do conselho está diretamento relacionado com o apoio estatal à obra.  Assim, por exemplo, o Estado será solicitado a conceder 106 milhões de euros de ajuda. A cidade deveria contribuir com a maior parte do saldo: 189 milhões, mas este valor já inclui os fundos dos municípios que também beneficiam da estação de tratamento. São estes Bertrange, Strassen, Leudelange e Reckange-sur-Mess.  

Para as instalações de Bereldange haverá também um aumento gradual do volume de águas tratadas ao longo dos próximos anos. O investimento servirá ainda para melhorar os padrões de descarga no Alzette nos processos finais do tratamento, em particular no que respeita à eliminação dos micropoluentes. Entre 2017 e 2021, já tinham sido investidos 52 milhões de euros para a modernização da estação em Bereldange. Mas os vários episódios de poluição involuntária trouxeram a necessidade de melhorar a segurança do equipamento.

Um dos casos deu-se em meados de setembro de 2019, onde uma avaria na estação levou a uma descarga imprópria nas águas do Alzette. O episódio levou à contratação de um gabinete de peritos para investigar os danos ambientais causados. Como medida de compensação, a capital comprometeu-se a implementar um projeto de desnaturalização para o rio.

A ideia em concreto - entre Pfaffenthal e a fronteira municipal com Walferdange - está atualmente em estudo. Na altura, foi ainda instalado um sistema de alarme remoto, independente do sistema informático de monitorização, como medida preventiva.

(Artigo original publicado na edição francesa do Luxemburger Wort.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.