Escolha as suas informações

Alemanha. Multas pesadas para pais que recusem vacinar filhos contra sarampo
Sociedade 2 min. 07.05.2019

Alemanha. Multas pesadas para pais que recusem vacinar filhos contra sarampo

Alemanha. Multas pesadas para pais que recusem vacinar filhos contra sarampo

Foto: Shutterstock
Sociedade 2 min. 07.05.2019

Alemanha. Multas pesadas para pais que recusem vacinar filhos contra sarampo

O governo alemão apresentou um projeto-lei para tornar obrigatória a vacinação contra o sarampo. Os pais que se recusarem a vacinar os seus filhos podem pagar multas superiores a 2500 euros. Professores, auxiliares, médicos e enfermeiros também terão de estar vacinados. Só nos primeiros dois meses de 2019, a Alemanha registou 170 novos casos de sarampo.

“Quero erradicar o sarampo. Quem for para a creche ou para a escola deverá estar vacinado contra a doença”, afirmou o ministro da saúde alemão, Jens Spahn, citado pelo The Guardian. Este governante apresentou, na semana passada, um projeto-lei que pretende obrigar à vacinação contra o sarampo de todas as crianças e de todos quantos trabalhem com elas.

Se for aprovado até ao final do ano, a lei que entrará em vigor em março de 2022, prevê multas pesadas para os pais que se recusarem a vacinar os filhos. Penalizações que poderão ser superiores a 2500 euros, de acordo com a proposta apresentada por Jens Spahn.


Paranóia antivacinas chega ao Luxemburgo
Movimento contra a vacinação diz que há cada vez mais pessoas que recusam imunizar os filhos contra doenças infecciosas.

Já a partir de julho de 2020, os pais que inscreverem os seus filhos nos jardins de infância ou escola terão de mostrar os boletins de vacinas atualizados, provando que as crianças têm a vacina do sarampo.

Além das crianças, todos os profissionais que trabalhem nas escolas como os professores ou educadores de infância, e nos hospitais, como médicos ou enfermeiros deverão estar vacinados. Bem como as crianças internadas. Tudo isto caso a medida avance.

De acordo com as estimativas do ministério da saúde alemão, a lei da vacinação obrigatória contra o sarampo iria abranger cerca de 361 mil crianças que não estão vacinadas e 220 mil adultos na mesma situação.

“Todos os pais devem poder estar tranquilos sabendo que os seus filhos não podem ser ameaçados, nem infetados pelo sarampo”, defendeu o ministro da saúde alemão. A oposição já se manifestou contra este projeto-lei argumentando que tal obrigatoriedade vai dissuadir ainda mais os pais a não vacinarem os filhos.


Na Ucrânia, só em 2019 quase 25 mil pessoas foram infetadas com sarampo e 11 morreram, de acordo com os números do governo.
Governo não quer tornar vacina obrigatória apesar de novos casos de sarampo no Luxemburgo
Sete casos de sarampo foram identificados na semana passada na Escola Europeia de Mamer.

Luxemburgo sem vacinação obrigatória

O projeto-lei foi apresentado depois de mais um surto na Alemanha. Só em janeiro e fevereiro, deste ano, foram diagnosticados 170 novos casos da doença, naquele país. Entre março de 2018 e fevereiro de 2019, a Alemanha registou um total de 651 casos, segundo os dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças. Nestas estatísticas, Itália lidera a tabela com 2.498 casos registados. Neste mesmo período de tempo, Portugal registou um total de 171 casos.

Quanto ao Luxemburgo, o número de casos de sarampo também está a crescer. Em março, deste ano, foram registados 7 casos, todos na Escola Europeia de Mamer, contra os quatro, de 2018.

Itália e França também já tornaram obrigatória a vacinação das crianças e jovens contra o sarampo, de modo a combater os surtos, mas o governo do Grão-Ducado não vai, para já, seguir o exemplo. “Neste momento, o Ministério da Saúde é da opinião que não é necessário tornar a vacinação obrigatória”, contra o sarampo, respondeu o gabinete de imprensa do executivo ao Contacto, no dia 27 de março.


Mais de metade dos portugueses acreditam que vacinas previnem doenças infecciosas
É a sétima população com opinião mais favorável à vacinação como medida preventiva.

Em termos globais, o número de diagnósticos de sarampo triplicou nos três primeiros meses deste ano, com a Organização Mundial de Saúde (OMS) a alertar para a necessidade de reforçar o combate à doença a nível mundial. Em 2017, ocorreram 110 mil mortes relacionadas com a doença, no mundo, estima a OMS.


Notícias relacionadas