Escolha as suas informações

Alemanha: Carros a diesel também já são proibidos em Estugarda

Alemanha: Carros a diesel também já são proibidos em Estugarda

Foto: Marijan Murat/dpa
Sociedade 2 min. 04.01.2019

Alemanha: Carros a diesel também já são proibidos em Estugarda

O governo alemão iniciou recentemente um plano de melhoria de qualidade do ar, que inclui medidas drásticas como a proibição de veículos a diesel em algumas cidades. Depois de Hamburgo, Estugarda já não permite veículos a gasóleo em várias zonas.

A partir de 1 de janeiro de 2019 Estugarda não permite a circulação de carros a diesel em várias zonas centrais da cidade. A medida está integrada num plano governamental de combate à poluição do ar nos meios urbanos. Em Estugarda, a medida afeta os veículos entre as categorias de emissão de poluentes "Euro 1" a  "Euro 4", isto é, não só veículos antigos mas também mais recentes, já que a categoria 4 diz respeito a viaturas registadas entre 2006 e 2011.

A cidade do sul do país torna-se a segunda a adotar medidas drásticas de forma a melhorar a qualidade do ar, após Hamburgo. Apesar de nesta última a proibição ser apenas em duas ruas, o que levou a algumas críticas sobre a sua eficácia, outras áreas urbanas poderão seguir o mesmo exemplo no futuro. 

Segundo o canal público alemão Deutsche Welle (DW), em Estugarda a medida afetará 190 mil veículos que estão entre as categorias 1 e 4. Foram criadas, no entanto, algumas exceções para profissões onde os veículos motorizados são indispensáveis, por exemplo motoristas, empresas de entregas e veículos de assistência. Nestes casos, são necessárias autorizações especiais, que segundo a imprensa alemã rondarão por esta altura os 3 mil pedidos.

Os residentes nas zonas afetadas pela interdição terão um período de transição até abril deste ano para se verem livres ou procederem à substituição dos veículos a gasóleo. A multa para quem desrespeitar a proibição é de 80 euros.

Combate nacional à má qualidade do ar

No país onde a indústria automóvel é fundamental para a economia, a medida foi naturalmente recebida com protestos pelos fabricantes de automóveis. No entanto, os escândalos da falsificação das emissões poluentes destes veículos colocou os fabricantes em cheque, já que o mau ar que se respira nas cidades alemãs poderá ser uma consequência de anos de negligência.

"Os fabricantes de veículos a diesel têm de pagar pelos erros massivos da indústria automóvel", referia ao DW a ministra do Ambiente Svenja Schulze em julho de 2018. A medida drástica faz parte de um pacote governamental de combate à poluição do ar nas cidades. Em algumas cidades alemãs, os níveis chegam a ultrapassar as metas estabelecidas pela União Europeia. 

No ano passado, a organização não-governamental (ONG) alemã German Bundesumwelthilfe apresentou uma queixa num tribunal alegando que os níveis de óxido nítrico excediam os limites estabelecidos pelas autoridades europeias em algumas cidades alemãs. Em fevereiro de 2018, o Tribunal Federal Administrativo concedeu aos municípios a possibilidade de impor restrições ao tráfego de motores a diesel de forma a melhorar a qualidade do ar.

A partir de 31 de maio, Hamburgo tornou-se assim a primeira cidade alemã a fazê-lo. Neste caso, só veículos da escala "Euro 6" podem circular em duas ruas movimentadas da cidade -  Max-Brauer-Allee e Stresemannstrasse - com exceções para residentes, táxis, autocarros, veículos de entregas e carros do lixo. Muitos questionam, no entanto, a eficácia do plano alegando que será difícil controlar todos os veículos a diesel que circulam indevidamente bem como por estar limitado a uma área pequena da cidade.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas