Escolha as suas informações

Adesão à UE. Kiev espera apoio unânime dos líderes europeus
Sociedade 23.06.2022
Guerra com a Ucrânia

Adesão à UE. Kiev espera apoio unânime dos líderes europeus

Guerra com a Ucrânia

Adesão à UE. Kiev espera apoio unânime dos líderes europeus

Foto: Michael Fischer/dpa
Sociedade 23.06.2022
Guerra com a Ucrânia

Adesão à UE. Kiev espera apoio unânime dos líderes europeus

Lusa
Lusa
A dirigente responsável pelo pedido de estatuto de país candidato à adesão à UE disse estar "100%" certa de que todos os 27 países aprovarão a candidatura da Ucrânia, durante uma cimeira que arranca hoje.

A vice-primeira-ministra para a Integração Europeia e Euro-Atlântica ucraniana, Olha Stefanishyna, lembrou na quarta-feira que a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, já demonstrou apoio à candidatura da Ucrânia, uma decisão que “mudou as regras do jogo” e abalou “os mais indecisos”.


Bettel garante que Luxemburgo apoia a Ucrânia na adesão à UE
Bettel afirmou que iria insistir, na cimeira da UE, que decorre a partir de quinta-feira, para que fosse concedido à Ucrânia o estatuto de país candidato.

Em entrevista à agência Associated Press, Stefanishyna admitiu que os Países Baixos, a Suécia e a Dinamarca estavam relutantes em iniciar negociações de adesão com a Ucrânia durante a invasão da Rússia, mas diz que, entretanto, mudaram de opinião.

O estatuto de candidato à UE, que só pode ser concedido se todos os países membros concordarem de forma unânime, é um primeiro passo. A adesão só acontecerá se a Ucrânia satisfizer condições económicas e políticas, incluindo o respeito pelos princípios democráticos.


Ursula von der Leyen
Comissão Europeia. 'Sim' à Ucrânia na UE, mas com condições
Os líderes vão no final da próxima semana dizerem se aceitam, mas a posição dos três grandes, França, Itália e Alemanha, já se sabe que é favorável.

Stefanishyna disse que acredita que a Ucrânia pode tornar-se membro da UE dentro de anos, não tendo de esperar décadas, com algumas autoridades europeias previram.

“Já estamos muito integrados na União Europeia”, disse a vice-primeira-ministra. “Queremos ser um estado-membro forte e competitivo, por isso pode levar de dois a 10 anos”, acrescentou.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

“A Comissão Europeia seguirá em frente neste caminho”, adiantou, anunciando ainda que informou Zelensky sobre “o desembolso de uma segunda tranche de cerca de 300 milhões de euros de assistência macrofinanceira à Ucrânia”.