Escolha as suas informações

Acusação de antissemitismo em voo da Lufthansa entre Alemanha e Hungria
Sociedade 2 11.05.2022
Polémica

Acusação de antissemitismo em voo da Lufthansa entre Alemanha e Hungria

Polémica

Acusação de antissemitismo em voo da Lufthansa entre Alemanha e Hungria

Foto: Sebastian Gollnow/dpa
Sociedade 2 11.05.2022
Polémica

Acusação de antissemitismo em voo da Lufthansa entre Alemanha e Hungria

DPA
DPA
A companhia aérea já pediu desculpas a todos os judeus que foram impedidos de viajar para Budapeste.

Um grupo de judeus ortodoxos acusou recentemente a Lufthansa de antissemitismo. Em causa está a proibição de embarcar em voos de ligação de Frankfurt a Budapeste a todos os passageiros judeus vindos de um voo de Nova Iorque que se recusaram a usar máscara. 

Todas as cerca de 130 pessoas do grupo foram impedidas de embarcar, apesar de não se tratar de um grupo único e de apenas alguns terem reclamado no primeiro voo, na semana passada. No entanto, as mais de 100 pessoas foram todas proibidas de continuar para o destino final pela polícia federal alemã. Os passageiros Também foram impedidos de comprar um novo bilhete para Budapeste durante 24 horas. 

Um porta-voz da companhia aérea disse ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que foi recusado o embarque aos passageiros por não terem cumprido o requisito de usar a máscara no primeiro voo, apesar dos pedidos da tripulação de cabine. A máscara continua a ser obrigatória dentro dos aviões, segundo as normas alemãs. 

O grupo fazia uma peregrinação anual para visitar a campa do rabino Yeshaya Steiner, numa aldeia no nordeste da Hungria.  

Nas redes sociais, começaram a circular vários vídeos de judeus exaltados com responsáveis da Lufthansa e com as autoridades alemãs e tentam explicar que não são um grupo único, logo, não entendem porque foram excluídos apenas por serem judeus. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.


Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

O grupo exigiu uma explicação da companhia aérea alemã, que já se pronunciou sobre o caso, indicando também que está a rever as circunstâncias do incidente. "Pedimos desculpa a todos os viajantes incapazes de viajar neste voo, não só pelos inconvenientes, mas também pela ofensa causada e pelo impacto pessoal", disse a Lufthansa numa declaração divulgada no Twitter. "O que aconteceu não é consistente com as políticas ou valores da Lufthansa".


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A companhia aérea alemã Lufthansa informou hoje que vai cancelar no sábado 137 voos, dos quais 88 são ligações intercontinentais, devido a uma greve de pilotos, afetando 30.000 passageiros.
A easyJet vai aumentar os voos entre os aroportos de Findel e do Porto. A companhia aérea de baixo custo vai passar de três voos semanais a "entre quatro e cinco" voos semanais, segundo a lux-Airport.