Escolha as suas informações

A China só registou 47 novos casos oriundos do exterior
Sociedade 2 min. 25.03.2020

A China só registou 47 novos casos oriundos do exterior

A China só registou 47 novos casos oriundos do exterior

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 25.03.2020

A China só registou 47 novos casos oriundos do exterior

Lusa
Lusa
Para impedir uma segunda vaga de contágios no país, o Governo chinês impôs uma quarentena rigorosa de 14 dias a quem entrar na China. A partir de hoje, quem chegar a Pequim vindo do exterior será submetido a testes laboratoriais, além de ser colocado em quarentena.

A China anunciou hoje 47 novos casos da covid-19, todos oriundos do exterior, numa altura em que o país está a retirar as medidas de isolamento impostas em Hubei, centro do novo coronavírus.

A Comissão de Saúde da China indicou ter registado, até à meia-noite na China (16:00 de terça-feira em Lisboa), morreram mais quatro pessoas, o que fixa o número de vítimas mortais em 3.281.

O número de infetados diagnosticados na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, desde o início da pandemia, é de 81.218.

Desde o ínico do surto, em dezembro, 693.223 pessoas em contacto próximo com infetados estiveram sob vigilância médica desde o início do surto, incluindo 13.356 ainda sob observação, de acordo com dados oficiais.

A cidade de Wuhan, capital de Hubei e onde foram detetados os primeiros doentes, voltou a não registar novo caso de contágio local, indicou a Comissão de Saúde chinesa.

Na província de Hubei (centro), o bloqueio de mais de dois meses terminou hoje em todas as cidades, com exceção de Wuhan, que vai continuar bloqueada até 08 de abril.

Ao longo de mais de uma semana, a maioria dos casos identificados pelas autoridades chinesas são de pessoas chegadas do exterior, numa altura em que a transmissão comunitária quase desapareceu.

Quando a doença começou a atingir o resto do mundo, muitos chineses regressaram ao país. De acordo com dados oficiais, a China registou quase 450 casos de infeção oriundos do exterior.

Para impedir uma segunda vaga de contágios no país, o Governo chinês impôs uma quarentena rigorosa de 14 dias a quem entrar na China. A partir de hoje, quem chegar a Pequim vindo do exterior será submetido a testes laboratoriais, além de ser colocado em quarentena.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 400 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 18.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos.

Os países mais afetados a seguir à Itália e à China são a Espanha, com 2.696 mortos em 39.673 infeções, o Irão, com 1.934 mortes num total de 24.811 casos, a França, com 1.100 mortes (22.300 casos), e os Estados Unidos, com cerca de 600 mortes (mais de 50.000 casos).

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Dois novos casos suspeitos de coronavírus em Portugal
A Direção-Geral da Saúde informa, esta segunda-feira, em comunicado, que foram validados mais dois casos suspeitos de infeção por novo Coronavírus (2019-nCoV) em Portugal, após avaliação clínica e epidemiológica.
Coronavírus. Primeiro caso registado na Bélgica
As autoridades da Bélgica confirmaram hoje o primeiro caso no país do novo coronavírus (2019-nCoV) numa pessoa que foi repatriada da cidade chinesa de Wuhan, foco de um surto da doença, que já matou 426 pessoas.