Escolha as suas informações

31% das crianças no Luxemburgo já foram alvo de bullying

31% das crianças no Luxemburgo já foram alvo de bullying

Foto: AFP
Sociedade 28.11.2018

31% das crianças no Luxemburgo já foram alvo de bullying

Paula CRAVINA DE SOUSA
Paula CRAVINA DE SOUSA
O relatório da OCDE "Panorama da Saúde 2018" analisa os problemas mentais nas crianças na Europa. Letónia, Lituânia e Portugal são os países onde o fenómeno é mais preocupante.

O relatório da OCDE "Panorama da Saúde 2018" analisa os problemas mentais nas crianças na Europa. Fenómenos como o bullying e cyberbullying são analisados pelos efeitos que podem ter nas crianças. O cyberbullying consiste no envio de mensagens ofensivas ou mesmo ameaças, comentários online ou rumores. Estes fenómenos estão relacionados com um conjunto de problemas nas crianças, como stress, depressão, ansiedade e pensamentos suicidas.

No Luxemburgo, o bullying atinge 31% das crianças. O cyberbullying chegou já a 9% das crianças. Esta é a conclusão de um inquérito feito a crianças com nove, 11 e 13 anos. Os países onde os fenómenos são mais graves são a Lituânia, Letónia e Portugal. O Luxemburgo surge em décimo lugar, num total de 30 países analisados.


Doenças mentais atingem quase 18% da população do Luxemburgo
São mais frequentes do que se imagina. A OCDE analisou o problema das doenças mentais, a sua dimensão, os custos e adverte que os países têm de tomar medidas para apoiar quem tem uma doença mental e para prevenir os grupos de risco.

Grão-Ducado tem a quarta maior esperança média de vida

A esperança média de vida é de 82,5 anos no Luxemburgo, a quarta mais elevada da União Europeia (UE). O valor fica acima dos 81 anos da média europeia. De acordo com a OCDE, a esperança média de vida tem aumentado nas últimas décadas, mas este avanço está a abrandar.

Isto deve-se sobretudo aos países do leste europeu, onde se verificaram, nalguns casos um recuo naquele indicador. Dito de outra forma, há países onde as pessoas estão a viver menos anos. Ora, a OCDE afirma que este resultado se deve a um abrandamento na redução do número de mortes por doenças cardiovasculares.

Além disso, refere-se um aumento de doenças que se agravam sazonalmente. Isto faz aumentar o número de mortes por gripe, entre pessoas idosas, por exemplo. A principal causa de morte na UE continuam a ser doenças cardiovasculares e cancro. Juntos representam 60 % do total do número de mortes.

Neste caso, o Luxemburgo não é exceção, sendo aquelas duas, as principais causas de mortalidade no país. Entre as doenças cardiovasculares contam-se sobretudo ataques de coração e AVCs. Nestes casos, o Luxemburgo surge nos primeiros lugares da tabela.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Estudo: No Luxemburgo, uma pessoa morre vítima de traumatismo a cada 34 horas
Os traumatismos são a quarta causa de morte no Grão-Ducado e a primeira no caso de crianças e jovens, segundo o estudo Retrace, do Instituto de Saúde do Luxemburgo. Todos os anos morrem em média 261 pessoas devido a lesões infligidas de forma deliberada ou causadas por acidente, o que corresponde a uma morte a cada 34 horas, aponta o estudo, que analisou dados de 2002 a 2012.
Reportage sur les Urgences du CHEM - Esch