Escolha as suas informações

2020 é o ano da "invasão" a Marte
Sociedade 06.01.2020

2020 é o ano da "invasão" a Marte

2020 é o ano da "invasão" a Marte

Foto: AFP
Sociedade 06.01.2020

2020 é o ano da "invasão" a Marte

Teresa CAMARÃO
Teresa CAMARÃO
Estados Unidos, China e Europa estão na corrida para encontrar indícios de vida em Marte no ano em que a Terra e o planeta vermelho estão alinhados.

Desde o final da Guerra Fria que a corrida ao Espaço não era tão disputada. Os astros vão estar literalmente alinhados em 2020. Durante algumas semanas Marte a Terra estão lado a lado - a 54 milhões de quilómetros de distância - e as maiores potências espaciais vão aproveitar a ocasião para lançar quatro missões robóticas ao planeta vermelho. 

O fenómeno só volta a acontecer em 2022. Por agora, Estados Unidos, Europa e China pretendem pousar com sucesso os veículos de exploração em Marte e tornar-se nos primeiros a encontrar indícios de vida no quarto planeta mais próximo do Sol. Os Emirados Árabes também entram nas contas com a colaboração dos cientistas norte-americanos que ajudaram a desenvolver o módulo Hope. 

As quatro missões espaciais têm janelas de lançamento muito  próximas. A primeira é lançada em julho e a última em meados de agosto. Mesmo com a distância encurtada só deverão aterrar a partir de Fevereiro de 2021. A viagem demorará cerca de sete meses. 

"Algo nunca visto", vinca o cientista da NASA responsável pela missão Marte 2020, Ken Farley, que fala do "entusiasmo cresceste" da missão norte-americana que além de encontrar vida também tenciona preparar o terreno para mandar astronautas a Marte.  

 


Notícias relacionadas