Escolha as suas informações

Web Summit: Termina hoje a cimeira tecnológica que juntou mais de 53 mil participantes
O presidente da Web Summit, Paddy Cosgrave, disse que o número de participantes aumentará em 2017 até 80 mil

Web Summit: Termina hoje a cimeira tecnológica que juntou mais de 53 mil participantes

Foto: AFP
O presidente da Web Summit, Paddy Cosgrave, disse que o número de participantes aumentará em 2017 até 80 mil
Portugal 2 min. 10.11.2016

Web Summit: Termina hoje a cimeira tecnológica que juntou mais de 53 mil participantes

Termina hoje a primeira edição da Web Summit em Portugal, com mais de 53 mil pessoas, entre empreendedores, 'startups' e investidores de topo a encontrarem-se e a criarem novos negócios.

Termina hoje a primeira edição da Web Summit em Portugal, com mais de 53 mil pessoas, entre empreendedores, 'startups' e investidores de topo a encontrarem-se e a criarem novos negócios.

Em jeito de balanço, na quarta-feira, o presidente da Web Summit, Paddy Cosgrave, disse que o número de participantes aumentará em 2017 até ao máximo de 80 mil, reforçando que a escolha de Lisboa foi "a decisão acertada" e confessando-se "apaixonado" pela capital.

"Três palavras: Eu adoro Lisboa", resumiu Paddy Cosgrave, à agência Lusa, quando questionado sobre o balanço que faz da cimeira tecnológica, agora a terminar.

Para 2017 existem já algumas ideias, nomeadamente o aumento do perímetro do evento ao pavilhão 4 da FIL, onde este ano estão montados apenas os balcões de registo, "e o número de participantes para um máximo de 80 mil pessoas".

"Acho que nunca iremos ultrapassar os 80 mil participantes, o pavilhão (4) tem essa capacidade e penso que esse será o nosso máximo", disse o fundador do evento.

Paddy afirmou-se convencido de que "tem havido milhares de encontros", sobre os quais se vai ouvir falar nos próximos meses ou semanas, e sublinhou não ter dúvidas de que se criaram várias relações, nomeadamente entre empresas portuguesas e investidores internacionais.

"Isto começou como uma ideia de juntar 25 pessoas na tarde de segunda-feira antes do arranque da Web Summit e agora tornou-se num ponto de encontro de líderes das maiores empresas tecnológicas do mundo, de presidentes de grandes empresas tradicionais, de primeiros-ministros e líderes da Comissão Europeia. Isto nunca aconteceu e já tem tanto potencial, portanto vamos ver o que 2017 nos reserva", afirmou.

Chamada de "Davos para Geeks", a Web Summit realiza-se este ano pela primeira vez em Lisboa, desde 07 até hoje, trazendo consigo vários eventos paralelos que estão a juntar os mais institucionais e os mais informais, em momentos de discussão, mas também de descontração, como a Night Summit e os Pub Crawls ou a Surf Summit.

A cimeira tecnológica que nasceu em 2010 na Irlanda, e que se realiza pela primeira vez em Portugal, vai manter-se em Lisboa até 2020 e poderá prolongar-se por mais dois anos, havendo uma expectativa de retorno financeiro na ordem dos 175 milhões de euros para a edição de 2016.

A Web Summit de Lisboa, que arrancou na segunda-feira e termina hoje, conta com mais de 53.000 participantes, de 166 países, incluindo 15.000 empresas, 7.000 presidentes executivos e 700 investidores.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

“Os portugueses saíram do seu país por não encontrarem empregos”
Depois de o ministro luxemburguês da Economia, Etienne Schneider, ter ido a Portugal, foi a vez do homólogo português se deslocar ao Luxemburgo. Manuel Caldeira Cabral esteve no Grão-Ducado e falou com o Contacto sobre a estratégia a desenvolver para estreitar as relações económicas entre os dois países. As ’startups’, o turismo e a economia aeroespacial ocuparam um espaço privilegiado na agenda do ministro.
Ministre portugais de l’Economie, Manuel Caldeira Cabral, Foto Lex Kleren
Web Summit/Lisboa: Acesso ao Lisbon Global Forum só por convite
Apenas um convite personalizado garante a entrada no Lisbon Global Forum, uma iniciativa inédita na Web Summit que reunirá em Lisboa todo um ‘mix’ de líderes políticos e empresas multinacionais, filantropos milionários, manequins, atores e até astronautas.