Escolha as suas informações

Theresa May telefonou a António Costa para debater 'brexit'
Portugal 14.02.2019

Theresa May telefonou a António Costa para debater 'brexit'

Theresa May telefonou a António Costa para debater 'brexit'

Foto: Tiago Petinga/Lusa
Portugal 14.02.2019

Theresa May telefonou a António Costa para debater 'brexit'

A primeira-ministra britânica falou hoje por telefone com o primeiro-ministro português, António Costa, para tentar sensibilizá-lo para a necessidade de alterações no acordo de saída da União Europeia (UE).

A conversa telefónica com o homólogo português faz parte de uma série de contactos feitos por May com líderes europeus a propósito do 'Brexit', disse a porta-voz à agência Lusa. Nos últimos dias, Theresa May telefonou também ao Presidente francês, Emmanuel Macron, ao chanceler austríaco, Sebastian Kurz, e recebeu o chefe do governo de Malta, Joseph Muscat, em Downing Street.

"A primeira-ministra falou do empenho do governo em fazer passar um acordo e apresentou a situação no parlamento [britânico], onde existe um apoio amplo ao acordo, embora sejam precisas alterações legais vinculativas para o conseguir fazer passar", adiantou uma porta-voz da ministra à agência Lusa.

O processo de saída do Reino Unido da União Europeia está num impasse, depois de o Acordo de Saída negociado por Londres com Bruxelas ter sido rejeitado no parlamento por uma margem de 230 votos.


ARCHIV - 24.06.2016, Großbritannien, London: Eine britische Nationalflagge, der Union Jack, weht vor dem Uhrturm Big Ben. (zu dpa-Berichterstattung zum Brexit am 17.01.2019)) Foto: Michael Kappeler/dpa +++ dpa-Bildfunk +++
Brexit: Luxemburgo sem plano financeiro para ajudar empresas se acordo falhar
Além dos planos financeiros, as alfândegas e a proteção dos cidadãos britânicos em solo europeu estão no topo das prioridades de todos os governos.

Uma maioria de deputados aprovou a 29 de janeiro uma proposta para negociar alternativas à solução de uma fronteira física para a Irlanda do Norte conhecida por 'backstop' como condição para deixar passar o documento.

A solução prevista no Acordo de Saída negociado entre o Londres e Bruxelas será ativada se após o período de transição, no final de 2020, não estiver concluído um novo acordo, mantendo o Reino Unido na união aduaneira europeia e a Irlanda do Norte sujeita a regras do mercado único.


Empresas luxemburguesas não temem o salto no escuro do Brexit
Após o recente 'não' do parlamento britânico ao acordo do Brexit, os empresários luxemburgueses continuam otimistas quanto ao impacto da saída do Reino Unido da União Europeia na economia do Grão-Ducado. Apesar do relógio continuar em contagem decrescente até 29 de março, às 23:59.

May reuniu-se na semana passada com os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, e do Conselho Europeu, Donald Tusk, e viajou até Dublin para se encontrar com o homólogo irlandês, Leo Varadkar.

Os líderes europeus têm até agora mostrado indisponibilidade para renegociar o conteúdo do documento, mas May e Juncker concordaram em voltar a encontrar-se de novo no final do mês, numa data ainda por definir.

A saída do Reino Unido da União Europeia está marcada para 29 de março, fim do prazo de dois anos previsto no artigo 50.º do tratado europeu para o processo de negociações.

Lusa


Notícias relacionadas

May promete ser "ousada" para aprovar o Brexit
"Não vou simplesmente pedir aos deputados que reconsiderem outra vez [o mesmo acordo]. Pelo contrário, vou pedir-lhes que olhem para um acordo novo e melhorado com outro olhar - e para lhe darem o seu apoio", vincou, a ainda primeira-ministra do Reino Unido.