Escolha as suas informações

Soares está "muito satisfeito" por Sócrates estar fora da prisão
Portugal 06.09.2015

Soares está "muito satisfeito" por Sócrates estar fora da prisão

Mário Soares e José Sócrates

Soares está "muito satisfeito" por Sócrates estar fora da prisão

Mário Soares e José Sócrates
REUTERS
Portugal 06.09.2015

Soares está "muito satisfeito" por Sócrates estar fora da prisão

O ex-Presidente da República Mário Soares afirmou hoje estar "muito satisfeito" por o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão domiciliária desde sexta-feira, em Lisboa, já não estar na prisão.

O ex-Presidente da República Mário Soares afirmou hoje estar "muito satisfeito" por o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão domiciliária desde sexta-feira, em Lisboa, já não estar na prisão.

Mário Soares afirmou-se "muito satisfeito" por Sócrates já não se encontrar na prisão de Évora e repetiu, por três vezes, que encontrou o ex-líder socialista "muito bem".

O líder histórico do PS evitou responder a quaisquer outras perguntas sobre política e campanha eleitoral. Mário Soares foi hoje o primeiro político a visitar o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão domiciliária desde sexta-feira, após mais de nove meses em prisão preventiva na cadeia de Évora.

A visita de Mário Soares, que chegou pelas 10:00 à Rua Abade Faria, em Lisboa, ocorre no dia de aniversário de José Sócrates, que faz 58 anos, tendo-se prolongado por cerca de 40 minutos.

O ex-primeiro-ministro foi detido a 21 de novembro de 2014, no aeroporto de Lisboa, no âmbito da Operação Marquês, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito.

A decisão de alterar as medidas de coação do antigo primeiro-ministro, o único dos arguidos da "Operação Marquês" que ainda estava na cadeia, foi anunciada na sexta-feira pelo Tribunal da Comarca de Lisboa.

Os advogados de defesa de Sócrates já afirmaram ser "insuficiente" esta alteração na medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e anunciaram que vão recorrer da decisão.


Notícias relacionadas

“Não há factos, não há provas, não há acusação”
Os advogados de José Sócrates consideraram hoje "patético" e "ridículo" o processo-crime contra o ex-primeiro-ministro e alegaram que estão consolidados "os indícios de que não há qualquer razão para suspeita" sobre o ex-líder do PS.
O advogado do ex-primeiro-ministro José Sócrates, João Araújo