Escolha as suas informações

Secretário de Estado das Comunidades apela a emigrantes para se recensearem
Portugal 24.01.2016

Secretário de Estado das Comunidades apela a emigrantes para se recensearem

Secretário de Estado das Comunidades apela a emigrantes para se recensearem

Foto: Manuel Dias
Portugal 24.01.2016

Secretário de Estado das Comunidades apela a emigrantes para se recensearem

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, apelou hoje aos emigrantes portugueses para se recensearem atempadamente por forma a poderem exercer o direito de voto, defendendo a importância de se inscreverem nos consulados para terem apoio.

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, apelou hoje aos emigrantes portugueses para se recensearem atempadamente por forma a poderem exercer o direito de voto, defendendo a importância de se inscreverem nos consulados para terem apoio.

“Há muitos obstáculos ao voto dos emigrantes”, reconheceu o governante em declarações à agência Lusa, indicando que muitas vezes os cidadãos portugueses estão a grandes distâncias das mesas de voto.

De acordo com o governante há poucas mesas de voto no estrangeiro e os cortes orçamentais dos últimos quatro anos ditaram o encerramento de serviços essenciais.

“Há emigrantes que estão a 400 quilómetros das mesas de voto”, exemplificou.

O secretário de Estado afirmou que o governo pretende instituir, durante a presente legislatura, o voto eletrónico.

Entretanto, apelou aos emigrantes para se recensearem até 60 dias antes das eleições e se inscreverem nos consulados para poderem ter apoio.

Tal como o CONTACTO noticiou no sábado, pelo menos sete portugueses a residir no Luxemburgo não puderam votar por terem alterado a morada para Portugal quando renovaram os documentos.

Numa visita a França na semana passada, José Luís Carneiro, pediu à presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo, para “sensibilizar” outros autarcas para a possibilidade de os portugueses poderem fazer o recenseamento eleitoral e usarem as câmaras como locais de voto.

De acordo com o secretário de Estado, num total de 4,5 milhões de emigrantes espalhados pelo mundo, apenas 300.000 se recenseiam.

Além da situação do Luxemburgo, que a CNE não considera um incidente, mas decorrente da lei, não puderam votar cerca de 4.500 portugueses, num total de 13.251 emigrantes, residentes nos EUA, devido às condições atmosféricas.

A tempestade "Snowzilla" afetou a votação em Washington, Newark e Filadélfia, onde os portugueses exercerão o direito de voto no próximo fim de semana, referiu o secretário de Estado, com base nas informações que recebeu dos serviços consulares e da CNE.


Notícias relacionadas

Antiga secretária de Estado das Comunidades: “Governo tem de reconstituir uma máquina de apoio aos portugueses no estrangeiro”
“O Governo português deve reconstituir a Secretaria de Estado da Emigração” para dar resposta aos problemas dos emigrantes, como os novos casos de exploração de portugueses na construção. A antiga secretária de Estado da Emigração e das Comunidades, Manuela Aguiar, esteve no Luxemburgo e defende que o Governo deve ter uma política virada para os portugueses que emigram, mas também para os que regressam.
Manuela Aguiar