Escolha as suas informações

Rui Rio declara vitória "com orgulho mas, acima de tudo, com responsabilidade"
Portugal 2 min. 28.11.2021
Eleições PSD

Rui Rio declara vitória "com orgulho mas, acima de tudo, com responsabilidade"

Eleições PSD

Rui Rio declara vitória "com orgulho mas, acima de tudo, com responsabilidade"

LUSA
Portugal 2 min. 28.11.2021
Eleições PSD

Rui Rio declara vitória "com orgulho mas, acima de tudo, com responsabilidade"

Lusa
Lusa
O líder reeleito do PSD Rui Rio disse encarar a vitória com "satisfação, com orgulho, mas acima de tudo com responsabilidade" e reiterou que funciona melhor "picado" e que está "picado para ganhar as legislativas".

"Encaro esta vitória como todas as outras, com satisfação, com orgulho, mas acima de tudo com responsabilidade", afirmou Rui Rio, num hotel do Porto, onde acompanhou os resultados das eleições diretas.

Como fez ao longo da campanha para as diretas, dirigiu grande parte do seu discurso para o futuro. "Eu funciono melhor quando me picam e efetivamente estou picado para ganhar as legislativas", salientou.

Sobre possíveis acordos futuros, disse que "vai a eleições democráticas" para "ganhar" e que irá "respeitar essas eleições quer ganhe, quer perca", esperando a mesma postura dos outros partidos.

O reeleito líder do PSD endereçou "um cumprimento especial ao doutor Paulo Rangel", com quem, diz, falou "longamente".

"Aqueles que votaram em mim e apoiaram a minha candidatura merecem duplo agradecimento, porque não prometi nada a ninguém", considerou.

Agradeceu também a todos os portugueses "que não são militantes", porque, disse, "foram determinantes para esta vitória".

Rui Rio entrou na sala onde os militantes já o aguardavam pouco antes das 22:30, mas já desde as 21:30 se gritava vitória na sala, entre cânticos que entoavam o nome do candidato e do partido, mas também "Portugal, Portugal".

Rangel sai "legitimado" desta derrota

O candidato derrotado à liderança do PSD, Paulo Rangel, afirmou que as eleições internas reforçaram a legitimidade de Rui Rio, que irá "com mais força" para as legislativas de 30 de janeiro.  "Sempre insisti que as eleições internas fossem feitas (...) Julgo que, depois da vitória, ninguém tem dúvidas de que tinha razão: que o processo eleitoral interno não prejudicava o PSD, mas que, tendo sido feito como foi, naturalmente reforçaria a legitimidade do líder", considerou, na conferência de imprensa em que assumiu a derrota nas eleições diretas.

Rangel disse não ter dúvidas que "o agora reeleito presidente do PSD", Rui Rio, "sai com mais força para as legislativas do que se este processo não tivesse tido lugar".

"Foi uma prova democrática muito importante para o partido e que vai ter consequências muito positivas para o PSD nas legislativas", previu. Nas respostas aos jornalistas, Rangel recusou fazer uma análise dos motivos que estiveram na base da sua derrota. "Eu candidatei-me porque tinha uma estratégia diferente do candidato que ganhou, os militantes do PSD escolheram a outra estratégia e o outro protagonista para a executar", apontou. 

Questionado se poderá protagonizar uma terceira candidatura à liderança do PSD, no futuro, depois de ter sido derrotado em 2010 e desta vez, Rangel respondeu: "É uma coisa que não antevejo", embora acrescentando já ter a experiência suficiente para não fechar totalmente qualquer cenário.

Quanto ao seu futuro próximo, Rangel garantiu que irá cumprir "até ao fim" o seu mandato como eurodeputado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas