Escolha as suas informações

Rio defende que Governo e Câmara do Porto "deviam pedir desculpa aos portugueses"
Portugal 2 min. 30.05.2021

Rio defende que Governo e Câmara do Porto "deviam pedir desculpa aos portugueses"

Rio defende que Governo e Câmara do Porto "deviam pedir desculpa aos portugueses"

AFP
Portugal 2 min. 30.05.2021

Rio defende que Governo e Câmara do Porto "deviam pedir desculpa aos portugueses"

Lusa
Lusa
Rio disse aos jornalistas não entender porque não foi permitido público nos jogos do futebol português mas para a final da Liga dos Campeões isso já foi possível, e os adeptos estrangeiros puderam "estar e andar por aqui a armar desacatos".

O presidente do PSD, Rui Rio, defendeu que o Governo e a Câmara Municipal do Porto "deviam pedir desculpa aos portugueses" na sequência do comportamento dos adeptos ingleses no Porto, considerando uma "vergonha em pleno combate à pandemia".

"O Governo e a Câmara do Porto deviam pedir desculpa aos portugueses, que privados de tanta coisa, assistem a esta vergonha em pleno combate à pandemia", escreveu Rio na sua conta oficial na rede social 'Twitter'.

Numa publicação durante a madrugada, e que é acompanhada de uma notícia que dá conta de um ferido e uma detenção na sequência de confrontos entre os adeptos ingleses que estavam no Porto para a final da Liga dos Campeões, o líder do PSD criticou que "nada aprenderam com o que se passou em Lisboa".

"Hoje foi bem pior. Muita conversa politiqueira ... e muito pouca eficácia", escreveu também.

Já durante a tarde de sábado, Rui Rio (que foi também presidente da Câmara Municipal do Porto) apontou, também no 'Twitter', que não estavam em causa festejos, mas sim para "vandalismo", sublinhando que "é diferente de turismo".

"Ora então, para Eduardo Cabrita [ministro da Administração Interna] e para Rui Moreira [presidente da Câmara do Porto], no Porto, não ia acontecer o que aconteceu nos festejos do Sporting. Pois não!", acrescentou.


Marcelo. “Não é possível dizer" que adeptos "vêm em bolha e depois não vêm em bolha”
O Presidente da República pediu coerência, referindo-se à presença de adeptos ingleses em Portugal para a final da Liga dos Campeões, e defendeu que “não é possível dizer que vêm em bolha” e isso não acontecer.

Também na sexta-feira à noite, em Gondomar, Rio disse aos jornalistas não entender porque não foi permitido público nos jogos do futebol português mas para a final da Liga dos Campeões isso já foi possível, e os adeptos estrangeiros puderam "estar e andar por aqui a armar desacatos".

Ao longo da tarde de sábado, foram relatados incidentes e aglomerados no centro da cidade do Porto, sobretudo nas zonas da Ribeira, bem como dos Aliados e da Alfândega, e em causa estavam adeptos sem máscara, a consumir bebidas alcoólicas e sem cumprir distanciamento social solicitado devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Já à noite, dois adeptos ingleses foram detidos na baixa do Porto, por agressão a agentes da autoridade após a final da Liga dos Campeões de futebol, revelou à Lusa fonte do Comando Metropolitano do Porto da PSP.

Os dois adeptos, acrescentou a fonte da Polícia de Segurança Pública, foram conduzidos para a Esquadra do Infante, no Porto, enquanto um agente ferido foi conduzido ao Hospital Santo António para ser suturado na face.

Com a zona da Ribeira fechada pela PSP após o final do jogo que o Chelsea venceu por 1-0, adeptos do Manchester City rumaram para a Avenida dos Aliados, de onde começavam também a sair os adeptos adversários, acabando por ocorrer algumas escaramuças.

Numa final 100% inglesa, o Chelsea conquistou a Liga dos Campeões ao derrotar a final o Manchester City por 1-0, em jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas