Escolha as suas informações

Rendeiro já não tinha dinheiro para pagar a advogada
Portugal 13.05.2022
Óbito

Rendeiro já não tinha dinheiro para pagar a advogada

João Rendeiro
Óbito

Rendeiro já não tinha dinheiro para pagar a advogada

João Rendeiro
Foto: Lusa
Portugal 13.05.2022
Óbito

Rendeiro já não tinha dinheiro para pagar a advogada

Lusa
Lusa
“Ele não tinha fundos e o Estado deveria nomear um advogado oficioso para assistência jurídica”, referiu, confirmando ter informado as autoridades sul-africanas desta situação: “Ele insistiu para eu continuar, mas não tinha fundos para pagar”, revelou June Marks.

A advogada do antigo presidente do BPP, que foi hoje encontrado morto na prisão de Westville, explicou que ia deixar de representar João Rendeiro no julgamento do processo de extradição devido à falta de dinheiro do ex-banqueiro.

Em declarações à Lusa, June Marks explicou que tomou “há um mês” a decisão de deixar a defesa de João Rendeiro devido a razões financeiras.

“Ele não tinha fundos e o Estado deveria nomear um advogado oficioso para assistência jurídica”, referiu, confirmando ter informado as autoridades sul-africanas desta situação: “Ele insistiu para eu continuar, mas não tinha fundos para pagar”.


João Rendeiro encontrado morto na prisão
Ex-banqueiro português estava detido desde dezembro numa prisão de Durban, na África do Sul.

Questionada se João Rendeiro tinha justificado a sua falta de meios financeiros com o arresto dos bens devido aos processos judiciais que enfrentava em Portugal, June Marks confirmou que esse foi, efetivamente, o argumento usado pelo antigo presidente do BPP.

A informação de que a advogada sul-africana iria deixar de ser a defensora de João Rendeiro foi adiantada ao início da tarde pelo Ministério Público sul-africano (National Prosecuting Authority, NPA), que revelou que o ex-banqueiro iria hoje comparecer em tribunal devido ao fim da representação pela advogada June Marks.

“A conferência de pré-julgamento para a audiência de extradição de João Rendeiro foi marcada para 20 de maio de 2022. Durante esta semana, o Estado recebeu uma notificação do representante legal de Rendeiro, declarando que ela irá retirar os seus serviços. O Estado requisitou então que Rendeiro comparecesse hoje no Tribunal de Verulam para que as questões jurídicas pudessem ser abordadas antes da conferência de pré-julgamento da próxima semana”, pode ler-se numa nota do NPA à comunicação social.


Morte de João Rendeiro ocorre uma semana antes da sessão preparatória do julgamento
No próximo dia 20, a defesa de João Rendeiro na África do Sul, a cargo da advogada June Marks, e os responsáveis do Ministério Público sul-africano iriam encontrar-se para acertar os últimos aspetos antes do julgamento, como a indicação de testemunhas.

A sessão preparatória do julgamento do processo de extradição para Portugal iria ter lugar dentro de uma semana e as sessões do julgamento iriam decorrer entre 13 e 30 de junho.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas