Escolha as suas informações

Relatório da Emigração. Mais de 20 mil voltaram a Portugal em 2018
Portugal 2 min. 18.12.2019 Do nosso arquivo online

Relatório da Emigração. Mais de 20 mil voltaram a Portugal em 2018

Relatório da Emigração. Mais de 20 mil voltaram a Portugal em 2018

Daniel Bockwoldt/dpa
Portugal 2 min. 18.12.2019 Do nosso arquivo online

Relatório da Emigração. Mais de 20 mil voltaram a Portugal em 2018

Há cada vez menos portugueses a abandonar o país. No sentido oposto, mais de 20 mil regressaram a casa.

Pelas contas do Instituto Nacional de Estatística (INE), cerca de 43 mil pessoas entratam em Portugal no ano passado, desses mais de 20 mil têm nacionalidade ou ascendência portuguesa. 

Apresentado esta terça feira, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Relatório da Emigração de 2018 mostra que há mais imigração permanente do que emigração, condição indispensável para manter o saldo migratório positivo. 

Pelo segundo ano consecutivo, há mais gente a entrar do que a sair de Portugal, depois da sangria de 2011 com a chegada do programa de ajustamento da troika e a saída em massa do país. 

Só no "ano negro" perto de 44 mil pessoas abandonaram o país, um aumento de 85% face às mais de 23 mil pessoas que fizeram as malas em 2010. Daí para a frente, as saídas registadas ficaram acima dos 100 mil por ano, com o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho a convidar "os professores excedentários" a "abandonarem a zona de conforto" e a "procurarem emprego noutro sítio" e o então secretário de estado da Juventude, Alexandre Miguel Mestre, a lançar o mesmo desafio aos jovens. 

O saldo migratório, medido pelo número de saídas e entradas, só voltou a ser positivo em 2017, apesar de Portugal ter deixado de estar sujeito aos planos de ajustamento económico em 2014. Os números, entretanto divulgados mostram que no ano passado o saldo mais do que duplicou. 

"É relevante notar também que muitos dos cidadãos que regressam, ou se fixam em Portugal todos os anos, são cidadãos nacionais, na sua maioria naturais de Portugal. Quer isto dizer que o saldo migratório tem crescido igualmente devido ao regresso de portugueses ao seu país: o INE estima que em 2018 tenham regressado ao Portugal 20.415 cidadãos portugueses, o que representa 47,2% das entradas permanentes no nosso país nesse ano", reagiu a recém-eleita secretária de Estado das comunidades, Berta Nunes.

Menos 5 mil fizeram as malas

O Observatório da Emigração estima que 80 mil portugueses abandonaram o país no ano passado, menos 5 mil do que em 2017. 

"A descida observada depois do pico de 2013 está globalmente correlacionada com a retoma da economia portuguesa, sobretudo no plano da criação de emprego, bem como com a redução da atração de países de destino como o Reino Unido, devido ao efeito Brexit, e Angola, devido à crise económica desencadeada com a desvalorização dos preços do petróleo", resume o Relatório da Emigração de 2018. 

Apesar de a emigração para o Reino Unido ter caído 17%, o país foi escolhido por 19 mil portugueses e continua a ser o principal destino. As saídas para Angola baixaram 36% e para a Suíça desceram 6%. O único país que regista uma subida sustentada há já quatro anos é a vizinha Espanha. Em 2018, a emigração portuguesa aumentou 18% com 10 mil novas entradas. 





Notícias relacionadas

Portugueses estão a emigrar menos
Segundo o relatório da emigração divulgado hoje pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, os portugueses estão a emigrar menos desde 2013. Em 2017, os lusos foram a segunda nacionalidade mais representada no Luxemburgo entre os novos emigrantes.
Cerca de 110 mil portugueses emigraram em 2015
Cerca de 110 mil portugueses emigraram em 2015, mas ainda não é possível concluir se a emigração estagnou ou está a descer, sendo previsível que os números de saídas não diminuam para valores anteriores à crise.