Escolha as suas informações

Região da Dinamarca ameaça trabalhadores que viajem para Portugal com despedimento
Portugal 25.06.2020

Região da Dinamarca ameaça trabalhadores que viajem para Portugal com despedimento

Região da Dinamarca ameaça trabalhadores que viajem para Portugal com despedimento

Foto: DR
Portugal 25.06.2020

Região da Dinamarca ameaça trabalhadores que viajem para Portugal com despedimento

Em causa está a possibilidade de exigência de quarentena à chegada ao país de origem e o consequente atraso no regresso ao trabalho.

A região administrativa do sul da Dinamarca avisou os trabalhadores que viajarem para Portugal e para a Suécia nas férias, que poderão enfrentar o despedimento, caso tenham de ficar de quarentena à chegada e atrasem, por isso, a data do seu regresso ao trabalho.

A notícia foi avançada esta quarta-feira, 24 de junho, pelo jornal dinamarquês 'JydskeVestkysten', que cita um documento enviado a 25 mil funcionários, onde a administração regional aconselha “fortemente” a evitar viagens para esses países, uma vez que a Dinamarca desaconselha viagens para vários países europeus e dos espaço Schengen, em especial Portugal e a Suécia, devido ao nível de transmissão do vírus nos dois países.


Luxair continua a voar para Lisboa
A companhia aérea luxemburguesa não pretende deixar voos em terra, apesar do recuo no desconfinamento da capital portuguesa.

Segundo o documento, quem ignorar esse conselho pode incorrer "numa violação material do seu contrato, o que pode levar a consequências no emprego", cita o jornal.  

John Christiansen, do Conselho Dinamarquês de Enfermagem, classificou, no entanto, a retórica usada pelos serviços de região administrativa de exagerada, referindo-se à expressão ameaçadora de ter "consequências no emprego" e lembrando que viajar não é proibido, apenas são dadas algumas recomendações.

O representante do Conselho de Enfermagem acrescenta ainda que se os funcionários tiverem planeado as suas férias de forma a poderem manter a quarentena recomendada por 14 dias quando regressarem casa, isso não deve ser um problema ou algo que a região possa punir.  E lembra que as recomendações oficiais e os cuidados a ter exigem mais orientação do que ameaças.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.