Escolha as suas informações

Radialista da RTL de França goza com portugueses e gera polémica
Portugal 1 2 min. 14.04.2021

Radialista da RTL de França goza com portugueses e gera polémica

Radialista da RTL de França goza com portugueses e gera polémica

Foto: AFP
Portugal 1 2 min. 14.04.2021

Radialista da RTL de França goza com portugueses e gera polémica

Apontamento de humor deixou indignados portugueses em França e não só, merecendo resposta numa rubrica de rádio, em Portugal, pelo humorista Luís Franco-Bastos.

Um programa da RTL de França está a gerar polémica entre os portugueses.  Em causa está a crónica de humor que o francês Philippe Caverivière fez a propósito de uma visita que terá realizado recentemente a Portugal.

O radialista, que escolheu um período em que os país ainda não está totalmente desconfinado para o visitar, revelou na emissora ter ficado "agradavelmente desiludido" com o que viu e teceu várias críticas jocosas à maneira como os jovens portugueses se vestem.

Caverivière usou a diferença horária entre França e Portugal - é menos uma hora em Lisboa que em Paris - para traçar comparações de moda e estilo, dizendo que os portugueses se vestem como se estivessem em 2008. Ano que, curiosamente, assinala uma década de deslocações frequentes do designer francês de sapatos, Christian Louboutin, ao país. Em 1998, o famoso ícone da moda mundial terá comprado a sua casa em Lisboa e tempos depois começou a investir no Litoral Alentejano, onde apresentou recentemente (em Grândola) uma instalação com quatro peças originais suas, entre as quais as famosas malas inspiradas em Portugal.

Voltando ao humor de Philippe Caverivière, a piada sobre o estilo dos portugueses começa no vestuário demodé, segundo o radialista, e termina nos cabelos, não poupando sequer os pedreiros. 

"Há uma pequena diferença horária com Portugal, é menos uma hora no relógio e na roupa da população são menos 12 anos, portanto, no máximo, os portugueses vestem-se como se estivessem em 2008 e os rapazes colocam gel no cabelo com efeito 'cimento', porque eles são portugueses", numa alusão indireta aos operários da construção civil, área onde muitos emigrantes portugueses trabalham. E rematou a piada comparando o resultado dos penteados ao de Jonathan Daval, um criminoso francês.

Mantendo o mesmo registo da crítica da imagem e das modas, a rábula de humor também chegou a Cristiano Ronaldo, que o humorista considerou ser "um bom exemplo do mau gosto português" porque se veste "de forma dispendiosa, mas mal".

"Na verdade, todos os jovens portugueses usam óculos dourados e têm tatuagens a dizer 'Only God Can Judge Me' ('Apenas Deus Me pode Julgar) e t-shirts demasiadamente apertadas. É estranho que um país inteiro queira parecer com os concorrentes de um reality show", afirmou.


As piadas de Philippe Caverivière não caíram bem na comunidade portuguesa e receberam várias críticas nas redes sociais, sobretudo no Twitter, com os internautas a apelidarem-nas de xenófobas e discriminatórias, havendo mesmo quem exigisse um pedido formal de desculpas da RTL de França aos portugueses.

A rábula acabou também por fazer eco em Portugal e ter uma resposta ao mesmo nível, num programa de humor numa das rádios mais ouvidas do país, a RFM, através do humorista Luís Franco-Bastos.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Mélissa da Silva (CDS/PP). “Tenho a experiência das discriminações de que são alvo os cidadãos residentes fora do território nacional”
Mélissa da Silva nasceu em Paris, filha de portugueses de Viana do Castelo, há 28 anos. É licenciada em Marketing e Relações Públicas e está a trabalhar na área do marketing. Prefere não expor aspetos da sua vida pessoal. Defende a sua convicção de que é possível fazer muito mais pela comunidade portuguesa no estrangeiro. Para Mélissa da Silva, o fato de ser ela própria filha de emigrantes, e sempre ter vivido entre França e Portugal, dá-lhe uma perspetiva sobre viver no estrangeiro que os outros candidatos não terão. Por falta de disponibilidade para uma conversa telefónica, a candidata do CDS às eleições legislativas do próximo dia 6 de Outubro preferiu dar entrevista por email. Daí as suas respostas serem muito mais sucintas que as dos outros entrevistados, fato a que o Contacto é alheio.