Escolha as suas informações

“Queremos que os nossos emigrantes gozem o seu verão em Portugal”
Portugal 2 min. 22.05.2020 Do nosso arquivo online

“Queremos que os nossos emigrantes gozem o seu verão em Portugal”

“Queremos que os nossos emigrantes gozem o seu verão em Portugal”

Foto: Lusa
Portugal 2 min. 22.05.2020 Do nosso arquivo online

“Queremos que os nossos emigrantes gozem o seu verão em Portugal”

Governo português admite aliviar restrições nas fronteiras em julho e agosto.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, admitiu esta sexta-feira que o Governo vai ponderar alterações ao encerramento das fronteiras "estabelecendo, designadamente, mecanismos de circulação que permitam aos nossos emigrantes, que queremos que gozem o seu verão em Portugal, a circulação durante os próximos meses de julho e agosto".

O ministro admitiu que o país, neste momento, está numa nova fase: "Estamos numa fase em que vamos gradualmente começar a encarar o aligeiramento dos controlos fronteiriços".

"Neste momento, as fronteiras internas e externas estão sob controlo até 15 de junho, mas vamos começar a ponderar a alteração deste quadro, quer nas fronteiras aéreas, quer nas fronteiras terrestres, estabelecendo, designadamente, mecanismos de circulação que permitam aos nossos emigrantes, que queremos que gozem o seu verão em Portugal, a circulação durante os próximos meses de julho e agosto", rematou.

O governante falava aos jornalistas, na fronteira de Vilar Formoso, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, após uma visita ao Centro de Cooperação Policial e Aduaneira (CCPA) de Vilar Formoso, onde se inteirou da atividade realizada desde que foram repostas as fronteiras.

"Há uma dimensão, que é uma dimensão europeia. Para nós, a prioridade é a circulação dos nossos cidadãos que possam, vindos do resto da Europa, de França, da Suíça, da Alemanha, com certeza, vir passar o seu verão a Portugal, voltando às suas terras e promovendo também aquilo que é a dimensão de animação da economia local", disse ainda Eduardo Cabrita.

Sobre o assunto, o ministro referiu: "Com preocupações de salvaguarda de distanciamento físico, utilizando regras de etiqueta respiratória e de higiene no uso das instalações, mas os resultados positivos que temos vindo a consolidar permitem-nos olhar para um verão com emigrantes em Portugal".

O ministro disse também que o país tem de "consolidar" os resultados positivos registados mas, também, "gradualmente permitir condições que permitam aos portugueses vir até Portugal", de acordo com a estratégia definida pela Comissão Europeia.

Disse ainda esperar que essa estratégica possa permitir "um gradual alargamento das possibilidades de circulação", em primeiro lugar nas fronteiras internas (aéreas e terrestres) dentro da União Europeia e, numa segunda fase, de fronteiras para fora da União Europeia.

O ministro da Administração Interna admitiu igualmente que as fronteiras de Montalegre (Vila Real) e de Barrancos (Beja) possam reabrir, antes de 15 de junho, durante "algumas horas", para passagem de trabalhadores entre Portugal e Espanha.

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Trinta anos de Schengen e de Europa sem fronteiras
O Acordo Schengen, que aboliu algumas fronteiras internas na Europa, foi assinado há 30 anos, no Luxemburgo. Esta manhã foram muitas as personalidades do Grão-Ducado e da Europa que assinalaram a data na pequena localidade do Grão-Ducado.