Escolha as suas informações

Quase 70% dos casos de covid-19 em Portugal têm origem em festas e convívios familiares
Portugal 2 min. 09.10.2020

Quase 70% dos casos de covid-19 em Portugal têm origem em festas e convívios familiares

Quase 70% dos casos de covid-19 em Portugal têm origem em festas e convívios familiares

Foto: Pixabay
Portugal 2 min. 09.10.2020

Quase 70% dos casos de covid-19 em Portugal têm origem em festas e convívios familiares

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
DGS deixa alerta também para as praxes e festas académicas que já provocaram dois surtos no Porto, só nesta semana.

A maioria dos casos de covid-19 registados, em Portugal, nos últimos dias, teve origem em contextos de convívio e festas privadas. 

Os dados foram avançados esta sexta-feira, 9 de outubro, pela Direção-Geral da Saúde, num dia em que o número de infetados voltou a subir (acima dos mil casos) e a superar os valores da véspera, assim como aumentaram também os óbitos e os internamentos associados à doença.

"O que nós verificamos é que estas confraternizações familiares, estes festejos - a propósito de um batizado, de uma boda, do que for - têm sido responsáveis por 67% dos casos reportados nos últimos dias, em Portugal", afirmou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus.

Graça Freitas faz, por isso, um apelo às famílias e às pessoas, no geral, que confraternizem e convivam menos "nesta fase, em que há transmissão crescente do vírus na comunidade".

A diretora-geral da Saúde alerta também para os rituais associados ao recomeço das aulas do Ensino Superior. "As praxes, que se mantêm em alguns sítios do país, as festas e as receções a alunos de Erasmus...Nós não estamos em 2019, gostaríamos de estar, mas, de facto, estas pessoas originam surtos grandes, com muitas pessoas, que geram uma enorme carga de trabalho sobre os serviços de saúde para investigar todos os possíveis contactos", ilustrou, acrescentando o consequente aumento de internamentos e casos graves, diretos ou indiretos, por via da transmissão na comunidade e a grupos vulneráveis.

Ontem foi noticiado um surto com 49 alunos infetados na Universidade de Porto. Também esta sexta-feira registaram-se 20 casos positivos entre os alunos do Instituto Politécnico da mesma cidade, sendo que 14 estudantes são do programa Erasmus e sete são portugueses.

Portugal tem neste momento 381 surtos ativos de covid-19 e a maioria regista-se nas regiões Norte e de Lisboa e Vale do Tejo, indicou a ministra da Saúde, Marta Temido, na mesma conferência de imprensa.

Segundo a ministra, “muitos dos casos confirmados até ao momento e ainda ativos estão associados a surtos, registando-se "381 surtos no país, de acordo com a Direção-Geral da Saúde”, sendo que, desse número, 154 são na região de Lisboa e Vale do Tejo, 138 no Norte, 49 no Centro,  19 no Alentejo e 21 no Algarve.

Portugal registou hoje mais 12 mortos relacionados com a covid-19 e 1.394 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, em março, este é o segundo maior número de casos de infeção. O maior foi em 10 de abril, com 1.516.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas