Escolha as suas informações

Quarentena para emigrantes? Vai depender do "dinamismo do surto"
Portugal 12.05.2020 Do nosso arquivo online

Quarentena para emigrantes? Vai depender do "dinamismo do surto"

Quarentena para emigrantes? Vai depender do "dinamismo do surto"

Foto: Rui Oliveira
Portugal 12.05.2020 Do nosso arquivo online

Quarentena para emigrantes? Vai depender do "dinamismo do surto"

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Governo português ainda não definiu medidas sanitárias para acompanhar o regresso dos emigrantes a Portugal, mas adiantou que haverá articulação com os países de acolhimento.

O governo português ainda não decidiu as condições em que se fará o regresso dos emigrantes ao país. Na habitual conferência de imprensa diária de análise ao boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde, afirmou que para já ainda não está decidido que os emigrantes que regressem a Portugal sejam obrigados a ficar em quarentena.


Portugal. Número de mortos por covid-19 volta a subir
Foram registados 19 novos casos mortais, mais 10 que no dia anterior. Número diário de infetados também voltou a aumentar.

 "Ainda não temos nada definido" frisou, questionado pelos jornalistas sobre aquela possibilidade, que na vizinha Espanha passará a ser regra a partir desta sexta-feira, 15 de maio, para quem entrar no país. 

António Lacerda Sales adiantou que o regresso dos emigrantes terá "medidas de segurança devidamente programadas" e que as ações sanitárias que possam vir a ser tomadas em relação a quem viaje do estrangeiro para Portugal, como a obrigatoriedade de quarentena, "serão articuladas com os diferentes países de proveniência” e terão em conta "o dinamismo do surto".


Governo português desmente notícia de proibição de emigrantes visitarem Portugal no verão
O ministério dos Negócios Estrangeiros emitiu um comunicado garantindo que os emigrantes poderão visitar Portugal nas férias.

O secretário de Estado, que disse que Portugal está também em contacto permanente com Espanha para articular medidas relativas à gestão da fronteira,  adiantou que será preciso “perceber quais foram os resultados do desconfinamento” e que qualquer decisão terá de ter "flexibilidade" e "proporcionalidade”.  

 "Dentro de algum tempo penso que poderemos começar a fazer algum balanço e a ter algumas respostas”, rematou.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas