Escolha as suas informações

Portugueses passaram 173,9 ME em cheques 'carecas' até julho
De acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal (BdP), hoje divulgado, foram 50.300 os cheques com insuficiência de provisão apresentados nos bancos nacionais até julho deste ano.

Portugueses passaram 173,9 ME em cheques 'carecas' até julho

Foto: Guy Jallay
De acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal (BdP), hoje divulgado, foram 50.300 os cheques com insuficiência de provisão apresentados nos bancos nacionais até julho deste ano.
Portugal 22.08.2018

Portugueses passaram 173,9 ME em cheques 'carecas' até julho

Os bancos devolveram 173,9 milhões de euros em cheques sem cobertura até julho deste ano, mais do que no mesmo período de 2017, segundo dados hoje divulgados.

De acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal (BdP), hoje divulgado, foram 50.300 os cheques com insuficiência de provisão apresentados nos bancos nacionais até julho deste ano, que equivaleram a 173,9 milhões de euros.

No mesmo período de 2017, foram passados 56.200 cheques ‘carecas’, num total de 161,9 milhões de euros.

Ainda assim, o valor tem vindo a diminuir ao longo dos anos, tendo totalizado 267,6 milhões de euros em 2017, 322,8 milhões de euros em 2016, 343,8 milhões de euros em 2015, 433,8 milhões de euros em 2014 e 674,7 milhões de euros em 2013.

O valor registado no ano passado é, inclusive, o mais baixo dos últimos 18 anos.

Neste período, o valor mais alto registou-se, por seu turno, em 2003, ano no qual o montante sem provisão atingiu cerca de 2,6 mil milhões de euros.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Prejuízos do Deutsche Bank são mais elevados do que o esperado
O Deutsche Bank registou prejuízos de quase dois mil milhões de euros no último trimestre do ano passado. O valor ficou abaixo do registado no mesmo período de 2015, mas bem acima do esperado pelos analistas da Bloomberg, que previam resultados negativos menos graves, de 1,3 mil milhões de euros.
Os prejuízos do maior banco alemão foram de quase dois mil milhões de euros.