Escolha as suas informações

Breves Portugal 23.05.2019

Português detido em Espanha por tentativa de homicídio a militar da GNR e 38 assaltos

A Guardia Civil espanhola anunciou esta quintafeira que deteve em Espanha um português por tentativa de homicídio de um militar da GNR e por 38 assaltos a carros nas províncias de Sevilha e Huelva.

Segundo a Guardia Civil, o português de 39 anos estava desaparecido há 10 anos e era alvo de um mandado de detenção e de extradição emitido pelas autoridades portuguesas pela tentativa de homicídio de um militar da GNR.

Em comunicado, a Guardia Civil precisa que o português foi detido na casa onde vivia em Sevilha, juntamente com um cidadão espanhol, e tinha na sua posse um carro de gama alta que tinha sido roubado.

Aquela força de segurança espanhola adianta que o português aguarda agora a extradição para Portugal.

A operação que levou à detenção foi classificada como complexa e perigosa, tendo a Guardia Civil mobilizado as unidades especiais e utilizado helicópteros.

A Guardia Civil indica que o português e o espanhol detidos nesta operação foram responsáveis por vários assaltos a carros em diferentes localidades das províncias de Sevilha e Huelva entre julho e setembro de 2018.

A agência Lusa contactou a GNR para obter informações sobre o caso, mas até ao momento ainda não obteve resposta.


Lusa

Breves Sociedade 22.01.2020

Organização Mundial de Saúde alerta para o perigo dos cigarros eletrónicos

“Não há dúvida de que eles são perigosos para a saúde”, conclui a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma agência especializada da ONU, num relatório sobre cigarros eletrónicos.

No documento a organização diz que “ainda é cedo para se ter uma resposta clara sobre o impacto a longo prazo da sua utilização ou da exposição” aos cigarros eletrónicos.

No relatório sobre os cigarros eletrónicos, lançado no início da semana na forma de perguntas e respostas, a OMS observa que não há provas suficientes de que esses cigarros ajudem os fumadores a deixar de fumar. Ao contrário, os que utilizam o vapor são mais suscetíveis aos cigarros tradicionais.

Os aparelhos de vaporização são “particularmente arriscados” junto dos adolescentes, acrescenta a OMS, que divulga agora alertas mais fortes do que os que tinha feito no ano passado.

“A nicotina é altamente aditiva e o cérebro dos jovens desenvolve-se até aos 25 anos”, adverte a OMS, insistindo nos “efeitos nocivos a longo prazo” ligados à exposição da substância mais encontrada nos cigarros eletrónicos.

O uso dos cigarros eletrónicos cria “riscos significativos para as mulheres grávidas, porque pode alterar o desenvolvimento do feto”, diz a OMS.