Escolha as suas informações

Portugal. Trabalhadores da Portway avançam com pré-aviso de greve
Portugal 10.08.2022
Aeroportos

Portugal. Trabalhadores da Portway avançam com pré-aviso de greve

Imagem de arquivo.
Aeroportos

Portugal. Trabalhadores da Portway avançam com pré-aviso de greve

Imagem de arquivo.
Foto: Homem de Gouveia/Lusa
Portugal 10.08.2022
Aeroportos

Portugal. Trabalhadores da Portway avançam com pré-aviso de greve

Lusa
Lusa
O pré-aviso de greve abrange três dias no final deste mês, nos três aeroportos do continente e no do Funchal.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) avançou esta quarta-feira com um pré-aviso de greve, que abrange os trabalhadores da Portway dos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e Funchal, para 26, 27 e 28 de agosto.


Greve prevista para os aeroportos portugueses este mês
A decisão abrange os 10 aeroportos nacionais concessionados pela Vinci Aeroportos.

"Em causa está a política de RH [recursos humanos] assumida ao longo dos últimos anos pela Portway, empresa detida pelo Grupo VINCI, de confronto e desvalorização dos trabalhadores por via de consecutivos incumprimentos do Acordo de Empresa, confrontação disciplinar, ausência de atualizações salariais, deturpação das avaliações de desempenho que evitam as progressões salariais e má-fé nas negociações", indicou o sindicato, em comunicado.

O pré-aviso prevê a paralisação geral dos trabalhadores da empresa de assistência em terra, nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e Funchal, com início às 00h do dia 26 de agosto e fim às 24h de 28 de agosto.

O SINTAC acusa ainda a empresa de promover um "clima de terror psicológico, onde proliferam ameaças e instauração de processos disciplinares, criando uma instabilidade social sem impar na história da empresa".


Número de trabalhadores da aviação no nível mais baixo em 14 anos
Os dados surgem numa altura em que o setor da aviação na UE está sob pressão pela falta de recursos humanos.

Assim, os trabalhadores reivindicam o cumprimento do Acordo de Empresa de 2016 e uma avaliação de desempenho que não sirva para evitar progressões.

De acordo com o sindicato, "a empresa persiste que as avaliações efetuadas em 2019 e 2020 continuam válidas, tendo por consequência bloqueado a progressão de carreira em cerca de 90% dos seus trabalhadores".

O SINTAC reivindica ainda o pagamento de feriados a 100% a todos os trabalhadores e atualizações salariais imediatas, que tenham em conta a inflação.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas