Escolha as suas informações

Portugal regista mais de 600 novos infetados por covid-19 nas últimas 24 horas
Portugal 2 min. 09.09.2020

Portugal regista mais de 600 novos infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal regista mais de 600 novos infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Foto : AFP
Portugal 2 min. 09.09.2020

Portugal regista mais de 600 novos infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Número de infeções registou, esta quarta-feira, a maior subida diária desde o desconfinamento, com Lisboa e Vale do Tejo e Norte a dividirem a maioria dos novos casos. Número de óbitos mantém-se baixo, com três mortes registadas hoje.

Portugal regista esta quarta-feira, 9 de setembro, 646 novos casos de infeção por covid-19. É o número infeções diário mais alto desde o início do desconfinamento.

As regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Norte dividem entre si a esmagadora maioria dos casos de hoje, com 290 novos infetados contabilizados na primeira, e 276, na segunda. Seguem-se o Centro com mais 40, o Alentejo com mais 23 e o Algarve com mais 15.

Há ainda 685 contactos em vigilância. 

Na conferência de imprensa desta quarta-feira, 9 de setembro, a secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, reconheceu que os números são elevados, mas adiantou que o governo já antecipava esta tendência de subida com o regresso das férias e a retoma das atividades laborais, pelo que se prepara para alargar o estado de contingência a todo o país, a partir do próximo dia 14 de setembro.

"O número 646 não é um número que nos deixe felizes, nem satisfeitos. Aquilo que importa dizer é que com o regresso pós-férias, com o reinício das escolas, com mais mobilidade e naturalmente com mais contactos, o governo já estava expectante que esse número tendesse a aumentar e por isso mesmo pré-anunciou uma medida que tomará em breve em Conselho de Ministros, com novas medidas, acionando novamente um período de contingência para todo o país", afirmou.

Aumento da transmissão ocorreu em pessoas mais jovens

Apesar dos surtos ocorridos em lares, um pouco por todo o país - há atualmente 23 lares com surtos ativos -, a maioria dos novos casos tem acontecido no seio familiar e em pessoas com idades abaixo dos 70 anos.

"Esta dinâmica de novos contactos tem de ser assumida como uma realidade de retoma (...), de qualquer forma importa sinalizar que estamos perante um foco, sobretudo, na transmissão familiar, e, portanto, a diminuição do número de contactos continua a ser o maior instrumento que temos para a redução da propagação do número de casos", começou por explicar Jamila Madeira.

A diretora-geral da Saúde destacou o facto positivo de mais de 80% dos casos testados positivos nas últimas 24 horas corresponderem a pessoas com idades abaixo dos grupos etários de risco.

"Dos 646 casos há que referir um dado que é positivo e que, de facto, elucida bem esta mobilidade maior, acrescentada (nós viemos de férias): é que apenas 12% destes casos dizem respeito a pessoas com mais de 70 anos, o que é um indicador positivo em relação à potencial gravidade dos casos", afirmou Graça Freitas, acrescentando que a DGS vai "continuar obviamente a acompanhar a situação".

Esta quarta-feira morreram três pessoas, duas em Lisboa e Vale do Tejo e uma no Norte.  

Continuam internadas 391 pessoas, menos três que ontem, e 52 nos cuidados intensivos (mais duas que no dia anterior).

Nas últimas 24 horas recuperaram mais 138, elevando o total de recuperados para 43.284

Até à data, e desde o início da pandemia, foram infetadas, com covid-19, 61.541 pessoas e 1.849 mortes. 

No total, há 16.408 activos no país.





Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas