Escolha as suas informações

Portugal. PSD quer apoio do Estado português para vacinar emigrantes em situação de dificuldade
Portugal 21.12.2020 Do nosso arquivo online

Portugal. PSD quer apoio do Estado português para vacinar emigrantes em situação de dificuldade

Portugal. PSD quer apoio do Estado português para vacinar emigrantes em situação de dificuldade

Foto: AFP
Portugal 21.12.2020 Do nosso arquivo online

Portugal. PSD quer apoio do Estado português para vacinar emigrantes em situação de dificuldade

Lusa
Lusa
Os sociais-democratas consideram que o Governo deve “desenvolver, pelos meios que considerar mais adequados, todos os esforços para que estes portugueses possam ter acesso às vacinas”.

O PSD defendeu, esta segunda-feira, 21 de dezembro, um apoio do Estado português aos emigrantes a passar por situações de maior dificuldade no estrangeiro para que estes possam ter acesso às vacinas contra a covid-19.

Numa pergunta dirigida ao ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros sobre o plano de vacinação para portugueses residentes no estrangeiro, o grupo parlamentar do PSD recordou que se aproxima “uma nova fase do combate a esta pandemia, nomeadamente com o início dos processos de vacinação em muitos países”.


Criadores da vacina Sputnik V e AstraZeneca assinam acordo de cooperação
De acordo com o diretor do centro Gamaleya, Alexandr Ginzburg, as vacinas russa e britânica têm muitas semelhanças e, por isso, a sua compatibilidade promete ser alta.

“Torna-se fundamental que os portugueses que possam estar a passar por situações de maior dificuldade no estrangeiro possam também ter acesso às vacinas de forma a estarem mais protegidos perante este surto viral”, lê-se na missiva.

O PSD considera que o Governo deve “desenvolver, pelos meios que considerar mais adequados, todos os esforços para que estes portugueses possam ter acesso às vacinas”.

E questionou o ministro Augusto Santos Silva sobre a forma como irá o Governo, nomeadamente através do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da rede de consulados e embaixadas, “garantir que todos os portugueses que residem no estrangeiro em comunidades mais frágeis em termos de acesso a cuidados de saúde, tenham acesso, de acordo com as suas necessidades, à vacina contra a covid-19”.


Covid-19. Interpol teme aumento "dramático" de crimes relacionados com vacinas
As autoridades temem também eventuais operações de sabotagem dos grupos "anti-vacinas".

Este partido questionou ainda o executivo sobre os procedimentos previstos para a vacinação dos funcionários e diplomatas da rede portuguesa no exterior.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.685.785 mortos resultantes de mais de 76,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.134 pessoas dos 374.121 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Vacinação
A campanha de vacinação começou na fase mais negra da pandemia do país, em janeiro, com fura filas e demissões polémicas. Hoje Portugal é o segundo país do mundo com maior número de vacinados.“Fico satisfeito por ter contribuído para um processo que foi decisivo para salvar vidas”, declara ao Contacto o vice-almirante Gouveia e Melo, na véspera de deixar a liderança da vacinação em Portugal e com o país prestes atingir os 85% de vacinados. Esta é uma história de sucesso muito elogiado nos quatro cantos do mundo. E que merece ser contada.
O coordenador da task-force para a vacinação contra a covid-19, Henrique Gouveia e Melo, durante a conferência de imprensa com atualização da informação sobre a vacina covid-19 da Astrazeneca, no Ministério da Saúde, em Lisboa, 18 de março de 2021. RODRIGO ANTUNES/LUSA
O primeiro-ministro considerou hoje que Portugal atingiu um "marco muito importante" ao alcançar a meta de 70% da população com pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, relembrando que a vacinação é "fundamental" para "retomar a normalidade".