Escolha as suas informações

Portugal pondera mais controlo nas fronteiras para fiscalizar testes negativos
Portugal 3 min. 25.11.2021
Pandemia

Portugal pondera mais controlo nas fronteiras para fiscalizar testes negativos

Pandemia

Portugal pondera mais controlo nas fronteiras para fiscalizar testes negativos

Foto: Lusa
Portugal 3 min. 25.11.2021
Pandemia

Portugal pondera mais controlo nas fronteiras para fiscalizar testes negativos

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
O PS, que esteve reunido com o Governo, na véspera do Conselho de Ministros desta quinta-feira, revelou que uma das medidas equacionadas para mitigar o avanço da covid-19 é a possibilidade do reforço do controlo das fronteiras.

Depois de ter ouvido os partidos, o Governo português decide esta quinta-feira em Conselho de Ministros novas medidas para conter o avanço da pandemia no país. E embora as decisões ainda não sejam conhecidas, começam a ser veiculadas algumas hipóteses. Um maior controlo das fronteiras, já referido pela DGS, com especial foco na apresentação de teste negativo, parece ser uma delas.

O PS, que esteve reunido com o Governo, esta quarta-feira, revelou aos jornalistas, no final da reunião, a possibilidade do reforço do controlo das fronteiras para mitigar o avanço da pandemia de covid-19.

"É muito importante todos termos uma consciência da nossa responsabilidade individual, coletiva, e estarmos preparados para medidas de reforço, nomeadamente em relação ao uso da máscara, testagem no acesso aos recintos fechados e espaços interiores, necessidade de fazermos do certificado de vacinação e da testagem um procedimento regular nas nossas vidas e também estarmos preparados para a necessidade do reforço das entradas e das saídas do país, portanto, do controlo das fronteiras", começou por referir o líder da comitiva socialista, José Luís Carneiro, no final da reunião.  

O socialista justificou a questão de introduzir mais controlo nas fonteiras com o facto de Portugal ser "um país aberto ao mundo", e que, por isso, acaba por estar exposto "aos riscos que provêm de regiões onde a vacinação ainda não alcançou níveis" equivalentes aos de Portugal, um dos países do mundo com maior cobertura vacinal da população contra a covid-19.


Funchal, Madeira, 2020
Covid-19. Ainda é possível salvar o Natal?
Agência Europeia do Medicamento recomenda vacina de reforço e medidas urgentes para travar quinta vaga.

Questionado sobre a possibilidade de repor o controlo na fronteira terrestre com Espanha, o representante do partido do Governo adiantou que todos os meios deverão ser reforçados em todos os pontos de entrada no país e deu a entender que a apresentação de teste negativo poderá ser um requisito a ter em especial atenção.

"O que para nós é vital é que todos os meios humanos e todos os meios técnicos sejam colocados naquelas que são as entradas dos fluxos que efetivamente acarretam riscos, por forma a garantirmos que quem se dirija ao nosso país se dirige com testagem feita, e com os testes negativos, e com certificação dessa testagem" afirmou.

José Luís Carneiro acrescentou ainda que "há regiões do mundo em que o modelo de testagem é diferente do modelo de testagem europeu" e que, por isso, o reforço de controlo deverá ser feito em todas as vias de acesso ao país e não apenas na aérea. "É muito importante que os meios humanos e todos os meios técnicos sejam colocados nos pontos de entrada, nomeadamente pontos de entrada aéreos, pontos de entrada terrestre e também pontos de entrada marítimos, por forma a garantir que esta imunização que fomos capazes de garantir com a vacinação se possa manter em níveis de proteção da nossa sociedade e da nossa população."

Não fica, no entanto, claro se o Governo poderá avançar para a imposição de apresentação de teste negativo nas entradas em Portugal, mesmo para quem esteja vacinado. Estas medidas estarão também dependentes dos critérios de livre circulação decididos para o espaço da União Europeia (UE). A Comissão Europeia deverá atualizar as orientações de mobilidade e viagens esta quinta-feira.


Comissão Europeia atualiza orientações para livre circulação na UE esta quinta
Os não vacinados deverão passar a ser submetidos a mais testes, rejeitando a Comissão Europeia medidas específicas para esta população (como foi imposto na Áustria ou Alemanha).

Segundo uma fonte próxima do executivo comunitário, ouvida pela agência Lusa, as propostas passam por uma "abordagem baseada na pessoa", sem quarentenas para vacinados, nem "grandes mudanças" face ao que está já estipulado relativamente à salvaguarda da livre circulação na UE.

Essa abordagem será baseada no certificado digital da UE - comprovativo da testagem (negativo), vacinação ou recuperação do vírus SARS-CoV-2 -, que entrou em vigor na UE no início de julho.

De acordo com a agência Lusa, a Comissão Europeia propõe também a inclusão, no certificado, de informações sobre doses de reforço de vacinas contra a covid-19 , assim como a da taxa de vacinação em cada país, nos mapas do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) que servem de apoio às decisões nacionais sobre viagens na UE. Atualmente, estes mapas, que são atualizados semanalmente, incluem as taxas de notificação de casos de covid-19 nos últimos 14 dias, o número de testes realizados e o total de positivos.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas