Escolha as suas informações

Portugal pode impor testes ou confinamento compulsivo a quem chega ao país a partir dia 14
Portugal 13.01.2021

Portugal pode impor testes ou confinamento compulsivo a quem chega ao país a partir dia 14

Portugal pode impor testes ou confinamento compulsivo a quem chega ao país a partir dia 14

Foto: Lusa
Portugal 13.01.2021

Portugal pode impor testes ou confinamento compulsivo a quem chega ao país a partir dia 14

Lusa
Lusa
O diploma do PR que vai esta quarta a votos prevê a realização de testes de rastreio obrigatórios nos aeroportos a partir de quinta-feira com a entrada em vigor do novo confinamento geral.

O diploma do Presidente da República que modifica e renova o estado de emergência permite impor testes de diagnóstico do novo coronavírus ou o confinamento compulsivo de pessoas para a entrada em Portugal.

No projeto de decreto enviado hoje por Marcelo Rebelo de Sousa para a Assembleia da República, que tem efeitos a partir de quinta-feira e até 30 de janeiro, o direito à circulação internacional volta a ser restringido - o que já tinha acontecido na primeira fase do estado de emergência, entre março e maio.

"Podem ser estabelecidos pelas autoridades públicas competentes, em articulação com as autoridades europeias e em estrito respeito pelos Tratados da União Europeia, controlos fronteiriços de pessoas e bens, incluindo controlos sanitários e fitossanitários em portos e aeroportos", lê-se no novo artigo incluído no diploma.


Confinamento avança em Portugal com "horizonte de um mês"
Mais de 10 mil casos e mais de cem mortes por dia, em janeiro, determinaram decisão do Governo.

Estes controlos podem ser impostos "com a finalidade de impedir a entrada em território nacional ou de condicionar essa entrada à observância das condições necessárias a evitar o risco de propagação da epidemia ou de sobrecarga dos recursos afetos ao seu combate, designadamente impondo a realização de teste de diagnóstico de SARS-CoV-2 ou o confinamento compulsivo de pessoas em local definido pelas autoridades competentes", acrescenta-se, no mesmo artigo.

Este é o nono diploma do estado de emergência que o chefe de Estado submete ao parlamento no atual contexto de pandemia de covid-19, e será discutido e votado pelos deputados na quarta-feira de manhã. O Conselho de Ministros irá reunir-se também na quarta-feira para adotar medidas ao abrigo deste decreto.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Europa volta a confinar
A Europa está, gradualmente, a regressar a um confinamento, agora mais flexível, para tentar controlar a segunda vaga de covid-19 num continente onde já morreram mais de 300 mil pessoas.
Praça de Espanha, em Roma (Itália).
Marcelo vai prolongar o estado de emergência
A reunião do Conselho de Ministros está prevista para as 15:00, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, e o chefe de Estado adiantou na segunda-feira que conta enviar o projeto de decreto com os termos da renovação do estado de emergência para o parlamento "ao fim da tarde" de hoje.