Escolha as suas informações

Portugal. Jovem de 14 anos suspeito de atear fogos para ver bombeiros em ação
Portugal 08.09.2020

Portugal. Jovem de 14 anos suspeito de atear fogos para ver bombeiros em ação

Portugal. Jovem de 14 anos suspeito de atear fogos para ver bombeiros em ação

Foto: AFP
Portugal 08.09.2020

Portugal. Jovem de 14 anos suspeito de atear fogos para ver bombeiros em ação

Um jovem de 14 anos foi identificado pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter ateado dois incêndios no concelho da Guarda para "assistir ao desempenho" dos meios de combate, anunciou hoje aquela força policial.

O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda refere em comunicado enviado à agência Lusa que procedeu à identificação de um jovem com 14 anos, "suspeito de ter ateado pelo menos dois fogos, de um total de cinco, ocorridos ao longo dos últimos dois meses entre as localidades de Albardo e Pousadinhas, no concelho da Guarda".

Segundo a nota, o menor, que atuava "por meio de chama direta", pretendia "apenas assistir ao desempenho das respetivas forças de combate" aos fogos.

A PJ acrescenta que os incêndios alegadamente ateados pelo menor consumiram "pequenas manchas de carvalhos, giestas, silvas, matos e diversa vegetação espontânea, tendo todos eles sido atempada e eficazmente combatidos pelos bombeiros".

"De resto, não fosse a pronta intervenção destes [dos bombeiros], alguns dos referidos focos poderiam ter evoluído de forma perigosa sobre abundantes manchas florestais existentes naquelas localidades, caracterizadas, além do mais, também por uma população significativamente envelhecida e naturalmente sobressaltada com a ocorrência de eventos locais desta natureza", remata.


Portugal. Mais de 24 mil hectares já arderam este ano
Mais de 24.000 hectares arderam nos primeiros sete meses do ano, período em que se registaram 5.294 incêndios rurais, valores inferiores à média anual na última década, segundo o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

A fonte refere ainda que a investigação foi concluída e remetida ao Ministério Público da Guarda para "eventual prossecução de processo tutelar educativo relativamente ao menor".


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.