Escolha as suas informações

Portugal. Fronteiras com Espanha vão mesmo continuar encerradas depois de 14 de maio
Portugal 2 min. 13.05.2020 Do nosso arquivo online

Portugal. Fronteiras com Espanha vão mesmo continuar encerradas depois de 14 de maio

Portugal. Fronteiras com Espanha vão mesmo continuar encerradas depois de 14 de maio

Foto: Lusa
Portugal 2 min. 13.05.2020 Do nosso arquivo online

Portugal. Fronteiras com Espanha vão mesmo continuar encerradas depois de 14 de maio

Lusa
Lusa
O governo português já fez saber que quer acolher os emigrantes no verão em segurança, mas como o fará ainda é uma incógnita.

O Conselho de Ministros português aprovou na terça-feira, por via eletrónica, a resolução que vai manter para além do dia 14 de maio o encerramento das fronteiras terrestres com Espanha.

"O Conselho de Ministros aprovou hoje a resolução que prorroga a reposição, a título excecional e temporário, do controlo de pessoas nas fronteiras, no âmbito da pandemia da doença covid-19", refere o comunicado divulgado no final da reunião extraordinária do governo. A resolução entra em vigor às 00:00 horas do dia 14 de maio, quinta-feira.

A indicação de que o controlo de pessoas nas fronteiras se manteria para além de 14 de maio já tinha sido dada pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, durante uma audição na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais. Na ocasião, o ministro não avançou uma data para a reabertura, tendo referido que está "dependente do sucesso" de Portugal e de Espanha na luta contra a covid-19.

Número de pessoas controladas subiu 30%  

O número de pessoas controladas nos postos de fronteira com Espanha aumentou 30% no terceiro período do estado de emergência, entre 18 de abril a 02 de maio, em relação ao período anterior, segundo um relatório divulgado na terça-feira.

O controlo dos limites terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23:00 do dia 16 de março em nove pontos de passagem autorizada devido à pandemia de covid-19: Valença-Tuy, Vila Verde da Raia-Verín, Quintanilha-San Vitero, Vilar Formoso-Fuentes de Oñoro, Termas de Monfortinho-Cilleros, Marvão-Valência de Alcântara, Caia-Badajoz, Vila Verde de Ficalho-Rosal de la Frontera e Castro Marim-Ayamonte.


Operação ir a Portugal nas férias: difícil mas aconselhado
O governo português quer os emigrantes no verão e a Comissão Europeia já desenhou um plano para que os europeus possam ir de férias. Mas ainda falta abrir fronteiras, pôr aviões no ar, e garantir a segurança dos veraneantes.

 O relatório sobre o terceiro período do estado de emergência indica que, entre 18 de abril e 2 de maio, foram controlados 84.543 passageiros nestes pontos, significando uma subida de 30,3% face ao período anterior do estado de emergência, entre 03 e 17 de abril, que registou 64.862 passageiros.

Segundo o documento entregue na Assembleia da República, 356 pessoas não foram autorizados a entrar em Portugal durante o terceiro período do estado de emergência.

No âmbito do controlo das fronteiras, estão impedidas as deslocações turísticas e de lazer entre os dois países, sendo apenas permitida circulação de transportes de mercadorias e de trabalhadores transfronteiriços.


Quarentena para emigrantes? Vai depender do "dinamismo do surto"
Governo português ainda não definiu medidas sanitárias para acompanhar o regresso dos emigrantes a Portugal, mas adiantou que haverá articulação com os países de acolhimento.

Em Portugal, morreram 1.163 pessoas das 27.913 confirmadas como infetadas, e há 3.013 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

O país entrou no dia 3 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Governo decidiu decretar situação de calamidade já a partir de sábado devido à pandemia de covid-19, depois de Portugal continental ter passado por 15 períodos de estado de emergência, 12 dos quais consecutivos desde 9 de novembro.