Escolha as suas informações

Portugal. Empresa retira bancos de comboios para transportar mais passageiros

Portugal. Empresa retira bancos de comboios para transportar mais passageiros

Foto: Wikimedia Commons
Portugal 2 min. 17.05.2019

Portugal. Empresa retira bancos de comboios para transportar mais passageiros

Fertagus anunciou que face ao aumento da procura com o novo passe único vai retirar bancos para conseguir transportar mais passageiros.

A empresa privada de transporte ferroviário Fertagus, que faz a ligação entre Lisboa e Setúbal, anunciou que vai retirar bancos das carruagens de forma a ganhar espaço para mais passageiros, noticiou o Diário de Notícias. Esta decisão foi tomada para responder ao aumento de 20% da procura que a concessionária registou no primeiro mês da implementação do passe único, título que permitiu baixar significativamente as tarifas, que abrange qualquer transporte da Área Metropolitana de Lisboa, em 40 euros. 


De acordo com o DN, a procura também aumentou no metro de Lisboa (4,4%) e nas ligações fluviais entre Lisboa e a Margem Sul (8,3%). No imediato avança as mudanças nas carruagens, uma decisão justificada pelo crescimento de procura "em termos globais na ordem dos 20%, sendo que ao fim de semana ultrapassa os 50%". Fonte oficial da empresa adiantou que foram feitas mais 500 mil validações de títulos de transporte do que em abril do ano passado e pondera acrescentar uma quinta composição ao conjunto de quatro carruagens que agora circulam.


Ainda de acordo com o DN, a empresa diz que está a preparar "um novo horário com o objetivo de responder melhor às situações de maior concentração de procura, que venham a demonstrar-se efetivamente necessários durante o mês de maio, primeiro mês de aplicação em exclusivo dos títulos Navegante, na Fertagus".


Metro aumenta frequência

O Metropolitano de Lisboa que também sentiu um aumento de viagens na sua rede garante

tem conseguido responder à procura. "A implementação dos novos horários de comboios que ocorreu em meados de abril nas linhas Amarela, Vermelha e Azul, às horas de ponta da manhã e da tarde, possibilitou o aumento da velocidade para 60 km/h, o consequente aumento da frequência dos comboios e a inerente redução dos tempos de espera", explicou fonte do metro, que acrescentou: "Sempre que se verificarem variações significativas na procura, mesmo que pontuais, a oferta será adaptada, nomeadamente em eventos culturais e desportivos.


Transtejo não aumenta resposta

A Transtejo-Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre Lisboa, Seixal, Cacilhas, Trafaria, Barreiro, Porto Brandão e Montijo, adiantou ao DN que também registou uma subida de passageiros nas suas cinco ligações fluviais. Em comparação com abril de 2018, os barcos da empresa foram utilizados no mês passado por mais 130 mil passageiros, ou seja, um aumento de 8,3% de viagens. 


Mas apesar desta procura e dos crónicos protestos dos utentes nos últimos anos por mais oferta a empresa diz que não vai reforçar para já a capacidade de transporte. Só em 2020 é que deve vir um dos barcos do concurso em vigor para a aquisição de mais unidades. "Os atuais constrangimentos operacionais e de recursos humanos na TTSL inviabilizam o reforço da oferta do serviço público de transporte fluvial, em especial nos horários de ponta", explicou ao DN fonte oficial.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.