Escolha as suas informações

Portugal Continental regressa à situação de alerta um ano depois
Portugal 24.09.2021
Covid-19

Portugal Continental regressa à situação de alerta um ano depois

Covid-19

Portugal Continental regressa à situação de alerta um ano depois

Foto: Lusa
Portugal 24.09.2021
Covid-19

Portugal Continental regressa à situação de alerta um ano depois

Lusa
Lusa
A situação de alerta é o nível de resposta a situações de catástrofe mais baixo em Portugal, previsto na Lei de Base da Proteção Civil.

Portugal continental vai estar em situação de alerta devido à pandemia de covid-19 entre 1 e 31 de outubro, regressando a este nível mais de um ano depois.

No final do Conselho de Ministros de quinta-feira em que foi aprovado a terceira fase do plano de desconfinamento, o primeiro-ministro anunciou que a evolução positiva do país no controlo da covid-19 vai permitir que Portugal continental passe da atual situação de contingência para alerta a partir de 01 de outubro.

 A situação de alerta é o nível de resposta a situações de catástrofe mais baixo previsto na Lei de Base da Proteção Civil. "O Conselho de Ministros aprovou hoje a resolução que declara a situação de alerta em todo o território nacional continental até às 23:59 de 31 de outubro de 2021", precisa o comunicado do Conselho de Ministros.


Portugal. Certificado digital deixa de ser exigido em restaurantes e hotéis
Os clientes dos restaurantes e hotéis vão deixar de ter de apresentar certificado de vacinação ou teste negativo à covid-19, de acordo com as novas regras aprovadas hoje pelo Conselho de Ministros.

Desde setembro de 2020 que Portugal não estava em situação de alerta, tendo estado desde 15 de setembro do ano passado em contingência, calamidade e estado de emergência.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.938 pessoas de covid-19 e foram contabilizados 1.064.876 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Portugal regista três vítimas mortais do novo coronavírus, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), que dá conta de 785 casos confirmados.