Escolha as suas informações

Portugal com mais recuperados do que infetados por covid-19 nas últimas 24 horas
Portugal 2 min. 20.10.2020

Portugal com mais recuperados do que infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal com mais recuperados do que infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Foto: AFP
Portugal 2 min. 20.10.2020

Portugal com mais recuperados do que infetados por covid-19 nas últimas 24 horas

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
O número de pessoas que recuperaram é esta terça-feira de 1.932, face a 1.876 novos casos positivos. Por outro lado, registaram-se também 15 óbitos e um aumento dos internamentos.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais novos recuperados do que novos infetados. 

Esta terça-feira, 20 de outubro, houve 1.932 a serem dadas como recuperadas da doença, face a 1.876 novos casos positivos. Pelo terceiro dia consecutivo, Portugal contabilizou menos dois mil casos diários.

O elevado número de recuperados de hoje, é registado um dia depois de a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas ter afirmado que iria refletir os casos de doentes assintomáticos ou com sintomas ligeiros de covid-19, que podem ter alta clínica, mediante declaração médica, após 10 dias de isolamento.

Até agora, o regresso destes doentes à escola ou ao local de trabalho estava dependente da apresentação de um teste negativo para a covid-19, mas com a atualização da norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) que reduz o período de isolamento para 10 dias, a realização de teste deixa de ser necessária.

“O médico assistente passará a declaração necessária para aquela pessoa regressar à escola ou ao emprego”, afirmou Graça Freitas durante a habitual conferência de imprensa sobre a covid-19 em Portugal. 

A responsável justificou esta alteração nos procedimentos da covid-19, referindo que a atualização da norma acompanha os dados mais recentes sobre a evolução da doença e a transmissibilidade do vírus, e os pareceres da Organização Mundial da Saúde e do Centro Europeu de Controlo de Doenças Infeciosas.

“A conclusão a que chegamos é que a evolução clínica é mais relevante que a evolução laboratorial para determinar se um individuo se mantém ou não se mantém infeccioso”, afirmou, acrescentando que este critério se aplica a muitas outras doenças.

Ficam de fora profissionais de saúde ou prestadores de cuidados, que continuarão a ter de fazer teste e ter resultado negativo.

A mesma norma da DGS estabelece para os casos de doença grave ou crítica um isolamento 20 dias desde o início de sintomas, o mesmo tempo definido para os doentes que tenham problemas de imunodepressão grave, independentemente da gravidade da doença.

Mais 15 mortos e mais hospitalizações

Esta terça-feira registaram-se também mais 15 mortes por covid-19 e um novo aumento dos internamentos, havendo agora 1.237 pessoas hospitalizadas, mais 63 que ontem, e 176 nos cuidados intensivos, mais 11 face ao dia anterior.

A maioria dos óbitos de hoje ocorreu em Lisboa e Vale do Tejo (6), seguindo-se o Norte (5), e as regiões do Centro e o Alentejo (com dois cada uma).

Já no que respeita ao número de infetados, continua a ser o Norte a concentrar a esmagadora maioria dos novos casos, com mais de metade do total de hoje (1.106). Lisboa e Vale do Tejo registou 435 novas infeções e o Centro 199. Seguem-se o Alentejo, com 87, e o Algarve, com 35.

Já os Açores registaram três novos casos positivos, esta terça-feira, enquanto a Madeira contabilizou 11.

Até ao momento, e desde o início da pandemia, já foram infetadas, em Portugal,   103.736 com covid-19, 61.898 recuperaram e 2.213 morreram da doença. 

Atualmente, há 39.625 casos ativos, menos 71 que ontem.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas