Escolha as suas informações

Portugal. 11.176 crimes de violência doméstica até final de setembro
Portugal 2 min. 25.11.2022
Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Portugal. 11.176 crimes de violência doméstica até final de setembro

Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Portugal. 11.176 crimes de violência doméstica até final de setembro

Portugal 2 min. 25.11.2022
Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Portugal. 11.176 crimes de violência doméstica até final de setembro

Lusa
Lusa
Para assinalar hoje o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, a GNR lança a campanha "#SubmissãoNãoéOpção" com diversas ações de sensibilização.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou até 30 de setembro 11.176 crimes de violência doméstica e efetuou 1.167 detenções na sua área de responsabilidade, segundo um balanço provisório.

Em comunicado para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, a GNR refere também que durante o ano 2021, a GNR contabilizou 12.755 crimes de violência doméstica e deteve 1.172 pessoas.

Para assinalar hoje o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, a GNR lança a campanha "#SubmissãoNãoéOpção" com diversas ações de sensibilização.


Semana 'laranja' contra a violência contra as mulheres
A edição deste ano decorre entre esta sexta-feira (25 de novembro) e 10 de dezembro. Veja as iniciativas.

No âmbito da campanha, a GNR divulga um vídeo e cartazes que vão ser distribuídos a nível nacional, direcionados para a “prevenção de comportamentos violentos contra as mulheres, atendendo a que a violência se dissimula sobre diferentes formas: física, psicológica, sexual, moral, entre outras”.

A Guarda adianta que o objetivo é sensibilizar para “a consciencialização sobre a igualdade de género e a promoção de uma cultura de não-violência, assim como sensibilizar os diferentes públicos-alvo para o fenómeno da violência contra as mulheres, sobretudo a violência doméstica, violência no namoro, violação e outras agressões sexuais”.

Na nota, a GNR diz que tem vindo a reforçar as campanhas de sensibilização e a apostar em ações específicas de formação do seu efetivo.

“A GNR tem 517 militares com formação específica para vítimas vulneráveis e núcleos de investigação de apoio a vítimas específicas para crimes com maior complexidade que envolvam todo o tipo de vítimas vulneráveis onde se incluem crianças, mulheres e idosos”, é referido na nota.


Já fui vítima de violência doméstica
Estas são apenas algumas das frases e dos comportamentos a que fui sujeita.

A Guarda lembra que a violência doméstica é crime público e denunciar é uma responsabilidade coletiva.

Nesse sentido, a GNR destaca que alguma situação de violência doméstica deve ser participada no Portal Queixa Eletrónica, em queixaselectronicas.mai.gov.pt, por via telefónica, através do número de telefone: 112 e no Posto da guarda mais próximo à área de residência.

Pode igualmente ser reportado nas aplicações App MAI112 disponível e destinada exclusivamente aos cidadãos surdos, em http://www.112.pt/Paginas/Home.aspx e SMS Segurança, direcionada a pessoas surdas em www.gnr.pt/MVC_GNR/Home/SmsSeguranca.

A PSP, de acordo com dados fornecidos à Lusa, deteve este ano 802 pessoas por violência doméstica, mais 35% face à média dos últimos cinco, e registou 13.285 queixas, um aumento de 6,3%, tendo ainda apreendido 279 armas relacionadas com este crime.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.