Escolha as suas informações

Polícia está a interrogar suspeitos da morte de estudante cabo-verdiano
Portugal 2 min. 08.01.2020

Polícia está a interrogar suspeitos da morte de estudante cabo-verdiano

Polícia está a interrogar suspeitos da morte de estudante cabo-verdiano

Portugal 2 min. 08.01.2020

Polícia está a interrogar suspeitos da morte de estudante cabo-verdiano

Alguns dos 15 jovens que terão participado nas agressões a Luís Giovani Rodrigues estão esta manhã a ser interrogados pela PJ de Bragança.

A Polícia Judiciária (PJ) de Bragança identificou e deteve nas últimas horas alguns dos 15 suspeitos que terão estado envolvidos nas agressões ao estudante cabo-verdiano e dois amigos nas proximidades de uma discoteca em Bragança e que levaram à morte de Luís Giovani Rodrigues de 21 anos, no dia 31 de dezembro.

Esta manhã, os suspeitos estão a ser interrogados pela polícia não se sabendo ainda se há matéria para ficarem detidos ou com termo de identidade ou residência, ou sair em liberdade.

Os avanços foram feitos depois dos agentes policiais terem visualizados imagens dessa noite captadas por câmaras de videovigilância a que tiveram acesso e que são fundamentais para a investigação, avança a TVI.


Cabo-verdianos organizam homenagem frente à embaixada de Portugal
Várias associações no Luxemburgo exigem justiça, na sequência da morte de Luís Giovani, estudante barbaramente atacado em Bragança por 15 pessoas "armadas com cintos de ferro e paus".

A morte “bárbara” do jovem de 21 anos que tinha vindo à dois meses da Ilha do Fogo para Portugal, para estudar no Instituto de Bragança está a emocionar Portugal, Cabo-verde e os cabo-verdianos emigrados pelo mundo.

Marcha pela Europa por Giovani

Como o Contacto anunciou ontem no próximo sábado a comunidade cabo-verdiana residente no Luxemburgo vai organizar uma marcha para homenagear o estudante cabo-verdiano assassinado em Bragança e exigir justiça às autoridades portuguesas.

Paris, Londres, Lisboa e Brockton vão ser igualmente palco destas marchar por Luís Giovani Rodrigues.


Tocava piano na igreja em Cabo-Verde e foi assassinado em Bragança
Luis Giovani dos Santos Rodrigues tinha 21 anos e chegara a Portugal há menos de dois meses para estudar. Natural de Mosteiros, na ilha do Fogo, em Cabo-Verde, tocava piano na Igreja desde criança, juntamente com dois amigos com quem havia formado uma banda de música tradicional cabo-verdiana. Foi espancado e morto nas ruas de bragança. A polícia identificou dois suspeitos.

O corpo do jovem estudante vai ser trasladado para Cabo-Verde.

"Crime bárbaro"

Recorde-se que as autoridades cabo-verdianas pediram a Portugal uma investigação célere a este "crime bárbaro", referindo, no entanto, que as relações entre os dois países não são afetadas por este caso.

Do lado de Portugal, o Ministério dos Negócios Estrangeiros garantiu que os responsáveis pela morte do estudante Luís Giovani serão levados à Justiça. Também a PJ já anunciou que irá tratar esta investigação com prioridade.

Luís Giovani Rodrigues faleceu a 31 de dezembro, no Hospital de Santo António no Porto.

  Tudo acontecera há 10 dias atrás, a 21 dezembro, quando Luís Giovani convencera três amigos também cabo-verdianos a irem àquela discoteca. À saída um grupo supostamente conhecido por ser conflituoso acusou Luís Giovani e amigos de um empurrão. Na discoteca aconselharam-nos a esperar lá dentro um pouco, até o referido grupo sair e afastar-se. Só que, o bando pediu "reforços" e todos os esperavam cá fora.  

 Na tentativa de impedir mais agressões aos amigos, Luís Giovani tentou travar os agressores e levou uma violenta paulada na cabeça. Acabou por ficar inconsciente. Dez dias depois o menino que tocava piano na igreja e estava feliz em Portugal, morreu. Aos 21 anos.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Tocava piano na igreja em Cabo-Verde e foi assassinado em Bragança
Luis Giovani dos Santos Rodrigues tinha 21 anos e chegara a Portugal há menos de dois meses para estudar. Natural de Mosteiros, na ilha do Fogo, em Cabo-Verde, tocava piano na Igreja desde criança, juntamente com dois amigos com quem havia formado uma banda de música tradicional cabo-verdiana. Foi espancado e morto nas ruas de bragança. A polícia identificou dois suspeitos.